Inicio
Albuquerque
Atlanta
Atlantic City
Bariloche
Boston
Buenos Aires
Chicago
Colonia
Dallas
Houston
Kansas City
Las Vegas
Los Angeles
Miami
Montevideo
Montreal
New Orleans
New York City
Orlando
Ottawa
Philadelphia
Phoenix
Portland
Quebec
Saint Louis
Salt Lake City
San Diego
San Francisco
Santiago
Seattle
Toronto
Valparaiso
Vancouver
Victoria
Washington

 

 

 





 

 

 

 

Atlanta foi a primeira cidade que visitamos naquela viagem aos Estados Unidos naquele ano. Depois de passarmos uma semana totalmente imersos na Disneyworld decidimos que já era hora de visitar a America de verdade, fora de seus parques temáticos, e Atlanta era um bom lugar para começar a jornada. Menos de duas horas de vôo pela Delta e chegávamos ao impressionante Hartsfield International Airport, onde iríamos alugar um carro para prosseguir nossa viagem pelo país. E impressionante foi a primeira palavra que nos veio à cabeça para descrever o aeroporto, porque entre outras coisas ele era tão grande que tinha até linha de metrô ligando os terminais ao módulo central. Bagagem recolhida e carro alugado, à medida que percorríamos a I-75 a caminho do centro e as torres da cidade se aproximavam, já era possível compreender a razão porque ainda hoje Atlanta é considerada como a Capital do Sul.

   

Falar em Sul por aqui tem uma conotação não somente geográfica, mas também política e histórica, haja vista que Atlanta foi a capital dos Estados Confederados durante a guerra de secessão de 1861-1865. Ao final do conflito a cidade estava totalmente arrasada, e como golpe de misericórdia, foi ainda incendiada pelas tropas vitoriosas do norte. Mas, fiel ao estilo americano de ser, aquela Atlanta arrasada pertence somente aos livros de história. A Atlanta de hoje é grande, agitada, com altos prédios, moderna, com belas residências e cercada  por uma grande malha de auto estradas.

 

Conta-se que o nome da cidade foi dado em 1842, por um dos primeiros governadores do estado, que teria decidido batizar a nova cidade homenageando sua filha, de nome Atalanta (antiga deusa grega). Mas ficamos com a impressão que talvez fosse mais adequado chamá-la de Peach Town, Peachland, ou qualquer coisa semelhante, pois praticamente tudo na cidade tem relação com pêssegos (peaches). Existem cerca de uma dúzia de ruas com este mesmo nome, a principal avenida chama-se Peachtree Street, o ponto central da cidade é o Peachtree Center, um complexo de lojas, hotéis e escritórios. Por isso mesmo, começamos a visita à cidade por este lugar, situado na esquina da International Boulevard com a... Peach Street.

 

Na foto ao lado aparece a região conhecida como Underground Atlanta, uma das principais atrações turísticas do centro de Atlanta. Esta área situada entre as ruas Alabama e Peachtree (novamente) é remanescente da Atlanta de 1860, período anterior à guerra civil. Com o crescimento da cidade este trecho ficou abaixo do nível da Atlanta moderna, como se fosse uma estação de metrô gigante e foi depois transformada num tipo de shopping, onde estão restaurantes, lojas e outras atrações. É um lugar interessante, não tanto pela arquitetura, mas principalmente pelo valor histórico e pelos músicos que costumam se apresentar por aqui. Atlanta tem três áreas principais: Buckhead (onde está o melhor do comércio e vida noturna), Midtown (com diversos restaurantes e onde fica o centro de artes Woodruff), e Downtown.

 

Atlanta sedia a famosa emissora CNN e o quartel general da rede já virou também atração turística. Turistas e curiosos podem se inscrever no que é conhecido aqui por Behind the Scenes Tour, para um roteiro de cerca de uma hora através de alguns estúdios, salas de redação e outros ambientes da CNN, enquanto no andar térreo uma grande área interna abriga restaurante e lojas de lembranças.

Uma boa opção para visitantes interessados em conhecer a história da cidade e que gostem de caminhar é o Atlanta Preservation Center, que preserva a herança cultural e arquitetônica da cidade. Com sede na 327 St. Paul Avenue, o centro organiza diversos tours históricos pela cidade. Por outro lado, o Atlanta State Farmers Market é o local indicado por gosta de ter uma noção dos produtos rurais típicos das redondezas, como legumes, verduras, carnes, doces e outras delícias. Ideal para fazer umas comprinhas e levar para lanchar no hotel mais tarde. Situa-se na 16 Forest Parkway.

Outra famosa atração local é Georgia Aquarium, um dos maiores do país, e que costuma deixar adultos e crianças fascinados com a variedade de peixes e mamíferos de diversas partes do mundo. Está situado próximo ao World of Coca-Cola.

 

Uma boa maneira de visitar toda a cidade é através da linha de ônibus turísticos da Gray Line Loop Tour, que faz um círculo percorrendo o melhor de Atlanta. Quem quiser pode saltar do ônibus em determinado local, visitar este ponto com mais calma e depois pegar o próximo ônibus e continuar o passeio.

Para quem não está de carro, e quer conhecer o mais possível, a melhor alternativa é usar o MARTA, como é chamado o sistema de transporte coletivo de Atlanta (Metropolitan Atlanta Rapid Transit Authority).

Martin Luther King Jr. Historic Site  é outro local muito visitado da cidade, situado na Auburn Avenue, e lá se encontra tudo sobre a vida do famoso ativista dos direitos humanos. Depois emende com outro lugar muito lembrado, o Sci-Trek Science and Technology Museum, um autêntico museu high-tech, com mais de 100 atrações interativas. E no final do dia aproveite para conhecer o maior restaurante drive in do mundo, o Varsity, há décadas um dos pontos mais falados em Atlanta.

 

A Coca Cola também tem sua sede em Atlanta, e construiu um prédio, chamado The World of Coca-Cola, para contar a história do refrigerante mais popular do mundo. No dia que passamos lá era Halloweeen, e nós nem lembrávamos disso (quando a gente está viajando se esquece o calendário não é?) por isso todos os funcionários estavam fantasiados, fazendo com que nossa recepção fosse feita por Dráculas e Vampiros. Não entendemos nada! Mas passado o susto inicial, entramos na onda e curtimos muito a festa. Ficamos conhecendo os vídeos, cinema, posters antigos, camisas, imãs, bonés e todo tipo imaginável de objetos estampados com a famosa marca. E quando dissemos que éramos do Brasil um lobisomem demonstrou seu conhecimento sobre o país, perguntando: You drink a lot of Coca Coca there don't you?

Não esqueça de passar pela fonte onde se pode beber a vontade todos os refrigerantes produzidos pela Coca Cola em diversos países do mundo, de refrigerantes a base de melancia ao pêssego, de alguns só encontrados no Japão até o guaraná Brasileiro

 

Em 1996 Atlanta sediou os jogos olímpicos, e parte da área que na época serviu ao evento hoje forma o Centennial Olympic Park. Com fontes, monumentos e uma pavimentação com o desenho dos cinco anéis olímpicos, o parque é um dos maiores orgulhos de Atlanta. A Fonte Olímpica, na imagem ao lado, produz shows a intervalos regulares, com música, jogos de luzes e esguichos que atingem dez metros de altura. Bem próximo, e também integrante do complexo, situa-se o Georgia Dome, imenso estádio inaugurado em 1992, também para atender às olimpíadas, agora lar do prestigiado time de futebol Atlanta Falcons.

 

Tire uma tarde para conhecer Stone Mountain Park, um parque temático ao estilo sulista, e que tem no centro uma grande rocha granítica onde está esculpida uma homenagem aos estados confederados e em volta atrações diversas, como teleférico, embarcação com rodas de pás na popa, shows e atrações diversas. Ideal para passar um dia inteiro, com a família. 

As melhores opções para compras na cidade estão no shopping Lenox Square, Philipps Plaza, Perimeter Mall e Northlake Mall.

 

Visite também o Atlanta Cyclorama & Civil War Museum, algo provavelmente único no mundo. Trata-se de uma pintura panorâmica cilíndrica, representando a batalha de Atlanta, durante a guerra civil. Enquanto os visitantes ficam sentados, a imensa pintura vai girando em volta, enquanto a história da batalha é narrada à medida que as fases do combate se sucedem. A atração fica permanentemente exposta no museu conhecido como Atlanta Cyclorama. E no final do dia, ao voltar para Atlanta, passe no subúrbio de Buckhead e experimente um ambiente diferente para jantar. O Buckhead Diner é no estilo dos antigos diners da America, todo decorado com luzes néon e arquitetura de época, como se fosse o cenário de um filme dos anos 50.

Falando em filmes, para nós foi difícil conhecer Atlanta e não lembrar do clássico de Hollywood, 'Gone with the Wind' (traduzido como 'E o Tempo Levou'), que mostrava, numa cena que já entrou para a história do cinema, o grande incêndio de Atlanta, no final da guerra civil. Nesta ocasião, quando a cidade foi invadida pelas tropas do norte, estima-se que cerca de dez mil moradores da cidade teriam morrido e a cidade reduzida a escombros.  

Atlanta não tem praias, mas nem por isso o pessoal daqui fica a ver navios. O Six Flags White Water Park é o maior parque aquático do sul do país, fica junto à estrada US-4, em Marietta. Ou então visite a região de Druid Hills e Emory, dez quilômetros a leste do centro, com várias mansões, e onde foi rodado o filme Conduzindo Miss Daisy. O roteiro da Atlanta histórica inclui ainda o bairro de Inman Park, onde estão belas mansões, como na imagem ao lado. Para chegar lá basta seguir a avenida Decatur na direção leste. 

Uma curiosidade sobre Atlanta é a forma como seus habitantes pronunciam o nome da cidade: A maioria diz Ãléna.

 

Atlanta não somente é um bom destino turístico, mas também ótimo ponto de partida para explorar estado da Georgia, como por exemplo, Roswell, lugarejo com prédios históricos e lojinhas típicas, ou então a história Savannah, situada apenas a quatro horas de carro seguindo pelas auto-estradas 75 e 16. Passamos quatro dias em Atlanta e dela guardamos a lembrança de uma cidade bonita, um daqueles lugares que dá até vontade de se morar quando se pensa em ir para os Estados Unidos.

 

Ah sim, e os pêssegos de Atlanta são uma delícia!

 

A música dessa página é o tema do filme E o Vento Levou. Para interromper sua execução clique em X (parar)