Inicio
Albuquerque
Atlanta
Atlantic City
Bariloche
Boston
Buenos Aires
Chicago
Colonia
Dallas
Houston
Kansas City
Las Vegas
Los Angeles
Miami
Montevideo
Montreal
New Orleans
New York City
Orlando
Ottawa
Philadelphia
Phoenix
Portland
Quebec
Saint Louis
Salt Lake City
San Diego
San Francisco
Santiago
Seattle
Toronto
Valparaiso
Vancouver
Victoria
Washington

 

 

 





 

 

 

 

Miami mudou de lugar. Não está mais situada em outro país. Tantos são os brasileiros que vão lá, e com tanta freqüência, lotando suas lojas, hotéis, praias e atrações diversas que ao circular em Miami tem-se a impressão que ainda estamos no Brasil, talvez no máximo em outra cidade, mais organizada, mais limpinha, e onde, curiosamente, também tem muita gente falando espanhol. E até mesmo alguns outros falando inglês. Escolhida como destino preferencial de brasileiros nos Estados Unidos, servida por dezenas de vôos semanais partindo de diversas cidades do Brasil, ela é o paraíso das compras, a America logo aí, o sonho americano em poucas horas de vôo e suaves prestações.  

Situada ao sul do estado da Florida, uma região de clima quente e belas praias, Miami tornou-se famosa e procurada por gente de todo o mundo, inclusive americanos, e há boas razões para isto além do clima. Dá para sentir uma certa liberalidade latina no ar, costumes um pouco diferentes do que predomina no resto do país, motoristas que a gente jura que só podem ser brasileiros, ritmos caribenhos nas rádios e gente falando espanhol e português à nossa volta, onde quer que se vá. Como disse um amigo que mora na região, isto aqui não é Estados Unidos, e sim sul da Florida. Ao lado, uma vista aérea de Miami Beach e seus hotéis.

 

Turistas internacionais chegarão em Miami pelo Miami International Airport (MIA), situado a cerca de 5 milhas do centro de Miami e 10 milhas de Miami Beach. Nunca é demais lembrar que Miami Beach não é a praia de Miami. Bem, na prática Miami Beach é sim a praia de Miami, mas na verdade mesmo Miami Beach é uma cidade e Miami é outra. Sim, elas são vizinhas, tem o mesmo nome e alguns distraídos podem até nem perceber quando se está saindo de uma e entrando em outra. Mesmo assim elas não são a mesma cidade. E se você quer um conselho, quando viajar para Miami, hospede-se em Miami Beach. Deu pra entender? Ok, vamos tentar de novo: São duas cidades diferentes. Miami é o centro, onde fica o comércio principal. E Miami Beach é o litoral, com todas suas belas praias. Na imagem ao lado, a praia de Miami Beach.

 

Miami e Miami Beach parece que conseguem reunir no mesmo lugar todas as coisas boas que as pessoas procuram num lugar para morar. Pegue o mar azul e praias de areia branca, acrescente um clima agradável, onde faz sol a maior parte do ano, junte a organização e fartura da sociedade americana, adicione boas doses de latinidade, nos costumes, música e atitudes, e voilá. Está no ponto para consumir. Com uma receita dessas, não é de estranhar que morar em Miami seja o sonho do americano comum, aquele que trabalha a vida inteira e sonha, quando se aposentar, poder se mudar para um lugar longe do frio e da neve. Não por coincidência, Miami é uma das cidades americanas com maior percentual de idosos, pois muitos deles vem morar aqui ao se aposentar.

 

Mas não pense com isso que Miami é somente uma cidade de velhinhos e velhinhas. Sim, eles são muitos, mas não são os únicos. Miami tem espaço suficiente para muita gente, inclusive jovens e sarados. Entre as comunidades mais numerosas de Miami está a de exilados cubanos e seus descendentes, que formaram o bairro conhecido como Little Havana, famoso por suas festas populares, como a Calle Ocho e bons restaurantes típicos. Mas entre brasileiros Little Havana não faz muito sucesso e os atrativos principais da cidade são as compras e as praias, nessa ordem. E Miami Beach, neste quesito, é uma unanimidade. Ao longo da Collins Avenue, que percorre o litoral de norte a sul, erguem-se cada vez mais luxuosos hotéis, condomínios de luxo e um comércio bastante diversificado.

 

Nunca tínhamos visto tantos iates lado a lado como nas marinas de Miami e redondezas. São centenas, milhares. Na verdade, quem gosta de água não poderia estar num lugar melhor, seja para nadar, mergulhar ou até mesmo fazer um passeio num barco de aluguel, que por aqui existem às dezenas. E não esqueça de trazer sua roupa de banho, pois as que estão à venda por aqui são muito estranhas e raramente agradam aos turistas. Dica: Quem curte mergulho submarino programa ir a Key Biscayne. Lá estão Biscayne Wreck e o John Pennekamp Coral Reef State Park, duas reservas submarinas famosas por suas águas claras e corais belíssimos.

 

Como o litoral desta região é enorme, as praias são muitas. Mas há um consenso que entre as melhores se destacam South Beach, Golden Beach, Haulover Beach, Crandon Park Beach.

A primeira delas é repleta de restaurantes, hotéis, bares enfileirados em frente ao mar. Ao longo da avenida o desfile de carros, motos, bicicletas é constante. Esta é a praia que a maioria dos turistas procura, a não ser, claro, aqueles que privilegiam tranqüilidade.

Golden Beach é a praia preferida pelos moradores locais, já que não concentra tantos turistas, enquanto Haulover Beach Park tem um trecho dedicado aos adeptos do naturalismo, mas também tem mesas para churrasco e quadras esportivas.

Enquanto isso, Crandon Park Beach é um tipo de praia-parque, com diversas palmeiras, áreas de lazer e brinquedos infantis. Areias brancas, dunas e mares azuis são uma paisagem comum entre todas elas. Ao lado, uma das diversas marinas de Miami.

 

No centro financeiro e comercial de Miami, conhecido simplesmente com Downtown, estão grandes e modernos prédios, numa das regiões de desenvolvimento mais acelerado dos últimos anos. Entre modernas torres de vidro e aço e também prédios antigos, espalham-se diversos estabelecimentos comerciais, inclusive as famosas “lojas de brasileiros”, e ainda bancos, escolas, prédios governamentais, teatros, restaurantes etc. Unindo diversos pontos centrais da cidade, opera o Metromover, sistema de transporte de massa, de uso grátis, com linhas circulares e que embora tenha alcance limitado, serve não somente a quem de desloca no centro, mas também como um divertido passeio turístico pela área.

 

A indústria de cruzeiros marítimos pelo Caribe tem seu ponto de partida principal em Miami. Quem quiser ver transatlânticos imensos basta dar uma passada pela Mac Arthur Causeway, a ponte que liga Miami à Miami Beach. É ao longo dessa avenida que estes gigantes estacionam.

Tire uma tarde para visitar o inacreditável Sawgrass Mills Mall, um dos maiores shoppings dos Estados Unidos. Ele é até considerado atração turística, e são comuns as excursões de ônibus até lá. Fica situado a menos de meia hora de Miami, na Sunrise Boulevard, oeste da I-95, altura de Fort Lauderdale.

 

Uma das características mais interessantes de Miami Beach é o estilo arquitetônico predominante, o Art Deco. Depois do mar, esta se transformou na segunda maior atração do lugar. Situado principalmente ao norte da 5th Avenue, estes prédios antigos, alguns muito bem preservados, outros nem tanto, e decorados com luzes néon formam um conjunto extravagante e bem diferente da arquitetura do centro da cidade. São mais de 80 quadras em estilo Art Deco, tombadas, e com status de monumento histórico nacional, formando o chamado " Art Deco District". Ao lado, fachada do hotel onde nos hospedamos, também em estilo Art Deco. Na verdade nossa primeira opção era outro hotel, mas ele foi uma decepção total. No dia seguinte juntamos nossas coisas e saímos procurando outro hotel, mas tudo estava lotado ou era caríssimo .Encontramos este Atlantic Beach Hotel por acaso, mas ele caiu do céu. Embora simples, tinha quartos espaçosos, limpos e ficava a uma quadra da praia.

 

O nome Miami tem origem na palavra Mayaimi, que na língua de seus antigos habitantes índios Seminoles significava Muito Grande. Era assim que eles se referiam ao lago Okeechobee, que fica próximo. Se você pegar um carro e começar a percorrer o litoral da cidade, vai perceber que, embora a paisagem quase não mude, os municípios vão trocando de nome muito rápido, embora já tenham praticamente emendado uns com os outros, aparentando ser apenas uma única cidade. Assim, um passeio rumo norte pela estrada A1A vai levar você à Aventura, Hallandale, Hollywood, Fort Lauderdale (não deixe de parar aqui e apreciar as mansões, quase todas com carros estacionados na frente e iates ancorados nos fundos), Pompano Beach (onde moram muitos brasileiros) e ainda mais ao norte Boca Raton, que apesar no nome estranho é um dos lugares mais exclusivos do litoral. 

O point mais badalado de Miami Beach é ao longo do trecho conhecido como "Promenade". É nesse calçadão de concreto, situado entre os prédios Art Deco e as areias da praia onde desfilam os que querem ver e ser vistos, seja em bicicletas, skate ou a pé. Além de Miami Beach e seu bairro Art Deco, outras boas atrações turísticas da área são o Palácio de Vizcaya, um prédio em estilo renascentista italiano, construído em 1916, e que abriga o Dade Country Art Museum, além de belos jardins, teatro ao ar livre, e um interessante labirinto em cercas vivas. Visite também o histórico The Barnacle, e se quiser fazer algumas compras a melhor opção é o ótimo Aventura Mall (ao norte da cidade, esquina da US-1 com route 856).Ao lado, mesas de restaurante de Miami Beach.

 

Uma coisa que nos chamou atenção em várias cidades à beira mar por aqui é o hábito dos americanos em construir prédios entre as ruas e o mar, formando o que se pode chamar de praias exclusivas. Existem praias públicas e praias privadas, o que para muitos brasileiros, acostumados a um litoral imenso e democrático, aberto a todos, soa como heresia. Ou seja, em muitos lugares dos Estados Unidos você sabe que o mar está logo ali, do outro lado daqueles prédios enormes, sente o cheiro de sal, ouve o barulho das ondas, mas não tem como ver o mar. Pode ser muito bom para quem mora ou está hospedado num dos hotéis frente ao mar, e que atravessa a porta e sai direto na areia, mas para visitantes ou turistas que estão de passagem e querem apenas passear e apreciar o litoral, fica uma sensação frustrante. Na foto ao lado, a vista que tínhamos da varanda do Atlantic Beach Hotel

 

Ao lado, foto tirada a caminho de Key West, ao sul de Miami, Observe os prédios do centro, no canto direito superior da imagem. Nosso carro, diga-se de passagem, estava estacionado em lugar proibido, fora da área de parquímetros. As Key são formadas por uma seqüência de ilhotas de coral e constituem um dos passeios mais bonitos da região. Desde Key Largo, a mais próxima de Miami até Key West, a última da fila, elas formam um tipo de corredor de ilhas que entra pelo mar adentro, por 300 km. Toda paisagem da região é cinematográfica, com verdes mares, águas cristalinas e nada de poluição. São o local certo para todo tipo de esportes aquáticos, vela e mergulho submarino, e por isso (nada é perfeito), as diárias dos hotéis são bem mais altas que a média de Miami ou Miami Beach.

 

Nos meses quentes de verão, as praias de Miami não ficam tão vazias quanto a foto ao lado pode sugerir. South Beach, a praia mais procurada, fica superlotada, por isso quem prefere ficar longe do agito talvez curta mais as praias mais afastadas, como Hollywood, bem mais  tranqüila, e que conta também com um calçadão ao longo do qual estão diversos restaurantes, bares e lojinhas. E se você não tem interesse em cair na água, sugerimos uma circulada de carro por algumas das ruas mais animadas da cidade, como Lincoln Road, Ocean Drive, Washington Ave, Espanola Way e South Point Park, todas recheadas de lojas, restaurantes, galerias, música e diversão.  Ao lado, um dos típicos postos de salva-vidas do litoral de Miami Beach

 

Quer fazer um passeio diferente? Siga na direção oeste pela estrada 41, conhecida como Tamiami Trail e penetre na região dos alagados da Florida, conhecida como Everglades. Esta região ainda permanece como era originalmente o estado da Florida, um imenso alagado, onde vegetação e águas rasas se confundem e se misturam a perder de vista e fazem a gente até esquecer que está nos Estados Unidos. Seria impossível percorrer Everglades por conta própria, já que não há estradas ou trilhas e barcos também tem o uso muito limitado, devido à pouca profundidade e à grande quantidade de vegetação, troncos e raízes, por isso, a única forma de percorrer a região é nestes curiosos barcos movidos a vento, com o auxílio de grande ventiladores situados na parte traseira da embarcação. 

Vídeo: Everglades num Barco a Vento

Passeios nos barcos-ventiladores são muito comuns por aqui e ao longo da estrada 41 é possível encontrar placas anunciando o serviço, prestado por empresas maiores e também algumas de pequeno porte. Um passeio típico tem duração de uma hora e nos permite percorrer um bom trecho de Everglades e perceber como é imensa e  totalmente diferente de tudo esta região. Grande parte de Everglades ainda é habitat natural de indígenas, os mesmos que já estavam aqui quando chegou o homem branco. E ainda hoje muitos deles tem como fonte de renda trabalhar na indústria do turismo, seja como pilotos destas embarcações ou oferecendo na beira da estrada artigos típicos, e artesanato. Ao lado, imagem feita numa ilhota no meio do pantanal, onde nosso barco fez uma parada.

 

A palavra Miami tem origem índia. Sua origem é o vocábulo do idioma Calusa, que significa "Grandes Águas", e referia-se originalmente ao rio que cortava esta região, e junto ao qual foram construídas as primeiras habitações que deram origem à cidade de Miami, fundada pelo explorador espanhol Ponce de Leon, em 1513. A cidade de Miami faz parte do County (condado - termo inglês correspondente a município, em português) de Miami-Dade. Miami é a maior cidade do County de Miami-Dade e também sua capital. O condado ocupa todo o sudeste do estado da Florida, com área aproximada de cinco mil quilômetros quadrados e faz divisa com os condados de Monroe (sudoeste da Florida), Broward (norte), Collier (noroeste) e a baía de Biscayne (leste). A maior rede de supermercados de Miami (e também do estado da Floria é a Publix). De acordo com estatísticas oficiais recentes, mais pessoas falam espanhol do que inglês em Miami. Ao lado,  trecho comercial de Downtown Miami.

 

As cores dos prédios em estilo Art Deco são um dos pontos altos de Miami Beach à noite, e é por aqui que acontece o agito. E South Beach é o local mais quente para quem procura se divertir. Aqui estão dezenas de bares, restaurantes, música ao vivo, dança, shows, acessíveis ou caros, simples ou exclusivos, familiares ou não, é aqui onde se curte a noite.

Por outro lado, um gostinho da Miami do início do século passado, época das grandes mansões, é sentida numa visita a Vizcaya. A propriedade, situada no centro de uma valiosa propriedade, inclui parques, museu, jardins ao estilo renascentista italiano, tudo ao estilo de uma autêntica vila mediterrânea. Vizcaya Museum and Gardens é um endereço muito procurado especialmente para realização de eventos especiais.

A região de Miami e Miami Beach tem muitas opções para compras, o programa preferido dos brasileiros, e entre os melhores locais de destacam Bayside Marketplace (downtown, shopping aberto com vários restaurantes e lojinhas), Dolphin Mall (próximo ao aeroporto), Aventura Mall (ótimo, com centenas de lojas e diversos restaurantes) e o imenso Sawgrass Mills Mall (outlet, apesar de ficar mais afastado é um verdadeiro paraíso para quem procura bons preços).  

As laranjas da Florida são famosas e dizem por aqui que são as melhores do país. Talvez. Mas quanto à outra coisa não há dúvida e temos que reconhecer que a cidade não foi escolhida à toa como sonho de aposentadoria de tantos americanos e sonho de consumo de todos brasileiros. Ela merece. Lá está tudo aquilo que a gente gosta: Praias, coqueiros, belas casas, sol, mar e compras com preços incríveis. Se você for a Miami durante o verão esteja preparado para encontrar também um calor muito forte, que surpreende mesmo quem vem de um país tropical, e também uma umidade altíssima, que embaça óculos e lentes de câmeras em poucos segundos. E vai encontrar também muitas laranjas, músicas latinas nas rádios e brasileiros, brasileiros, brasileiros.....

 

A música dessa página é Merengue. Para interromper sua execução clique em X (parar).