Inicio
Alabama
Arizona
California
Florida
Georgia
Idaho
Illinois
Indiana
Iowa
Kentucky
Louisiana
Maine
Maryland
Minnesota
Mississippi
Missouri
Nevada
New Jersey
New Mexico
New York
North Carolina
Ohio
Oklahoma
Oregon
Pennsylvania
South Carolina
Tennessee
Texas
Utah
Virginia
Washington
West Virginia
Wisconsin

 

 

 

 

 




 

 

 

 

Nosso objetivo na viagem daquele ano não era conhecer o estado de Iowa. O estado seria somente um lugar de passagem a caminho do norte do país. Mesmo assim, ao chegarmos lá, as paisagens se mostraram tão agradáveis e convidativas que decidimos esticar um pouquinho mais a permanência no Hawkeye State. Percorrendo suas estradas secundárias, rotas alternativas e pequenas localidades descobrimos um lugar rural, tranqüilo, com campos, lavouras, fazendas e uma gente que pelo jeito de nunca tinha visto brasileiros em suas vida (uma moradora até nos perguntou se o Brasil ficava na Europa). Iowa nos pareceu um típico reduto de vida interiorana dos Estados Unidos, um pedaço da América ainda não foi tocado pela estresse da vida.

Ao lado um monumento situado nos fundos do prédio do State Capital, na cidade da capital Des Moines, onde consta, 'Iowa, a Place to Grow', ou seja: Iowa, um lugar para crescer, cultivar, plantar e progredir.

   

Com relação ao monumento acima, não tivemos tempo de descobrir se crescer ou mesmo viver é mesmo tão bom assim em Iowa, mas o que nos pareceu é que, quem cresce e vive lá tem uma vida bastante tranqüila. Des Moines, na imagem ao lado, é a capital estadual e também e maior cidade, mesmo assim o movimento por suas ruas é muito reduzido e quase não se vê gente andando pelas calçadas. O nome incomum do lugar tem origem no rio que corta a cidade, que por sua vez foi batizado pelos franceses, os primeiros europeus a colonizar a região. A propósito, esqueça a pronúncia francesa correta do nome de origem francesa, por aqui o nome da cidade é pronunciada de forma americanizada, 'Demóine'. E aproveitando, a pronúncia do nome do estado é 'Aiôa'.

Vídeo: Des Moines

Mas além de tranqüila Des Moines é também uma cidade muito limpa, com população em torno de duzentos mil habitantes. Entre suas principais atrações turísticas estão o Des Moines Botanical Center, o Sherman Hill National Historic District, a Basílica de St. John e o Des Moines Art Center. As principais ruas da cidade são a Grand Avenue e a Walnut street, onde estão a maior parte dos prédios comerciais. A imagem ao lado foi feita sobre a ponte que une os lados este e oeste da cidade, separados pelo rio que também se chama Des Moines. 

Para compras Des Moines tem dois bons shoppings, o Merle Hay Mall, situado bem no centro, e o South Ridge Mall, na junção da Army Post com auto estrada 65. E quem aprecia caminhar a dica certa é percorrer o trecho mais fotogênico de Des Moines, que situa-se no lado direito do rio Des Moines, junto às ruas 14 e 15, Union Park, Crocker Woods e Riverside Park. Um dia será mais que suficiente para percorrer a cidade e ver suas melhores atrações.

Deixando Des Moines para trás e pegando a estrada vale a pena visitar a pequena localidade de Council Bluffs, situada na divisa com o estado de Nebraska. Ela tem um museu dedicado às estradas de ferro, ilustrando muita coisa sobre a importância deste meio de transporte no desenvolvimento de toda esta região. Conhecido como Rails West Railroad Museum, o local conta com trenzinhos em escala reduzida, vagões verdadeiros muito bem conservados e antigas locomotivas a vapor. Outra visita interessante situa-se poucas milhas ao sul, na cidade de Glenwood, onde está o Mills County Historical Museum, dedicado à história das tradições indígenas de Iowa. O museu apresenta uma típica cidade local do século XIX, com seus prédios históricos e diversos utensílios de época. 

 

O Living History Farm, na cidade de Urbandale, próximo a Des Moines, é uma interessante viagem no tempo. Esta fazenda-museu mostra a evolução do estado desde a época dos índios, passando pelas primeiras colonizações de Iowa, construções de época e antigas fazendas, até chegar à época atual. De uma forma geral, embora não estejam acostumados a receber visitantes de longe, os moradores destas pequenas localidades são sempre amistosos e simpáticos, e quando contávamos que éramos brasileiros quase sempre davam um sorriso de satisfação e diziam "Welcome to America".

 

Campos lavrados, plantações, silos, arados, esta é a imagem mais freqüentes que se tem ao percorrer as estradas de Iowa. Nada menos de noventa por cento das terras do estado são dedicadas à agricultura, sendo que o plantio do milho - cereal muito apreciado e consumido pelos americanos - ocupa grande parte dos terrenos, tornando o estado um dos maiores produtores nacionais e o responsável por vinte por cento do abastecimento do mercado americano. Como um estado rural, o principal evento anual daqui não poderia ser outro senão a Iowa State Fair, feira estadual que atrai mais de um milhão de visitantes a cada edição. Não estávamos lá nesta ocasião, mas aprendemos que a feira é uma mistura de parque de diversões com exposições diversas, relacionando máquinas e equipamentos rurais, novidades do setor, e muitos pratos típicos.

 

Um pedacinho da Holanda em pleno Iowa. A forma escolhida pela cidade de Elk Horn para homenagear seus colonos foi colocando em local de destaque um típico moinho holandês, com vinte metros de altura. Tanto Elk Horn quanto sua vizinha Kimballton formam a principal comunidade étnica holandesa nos Estados Unidos, e o moinho logo se tornou a principal atração local.

Fazem parte das atrações das duas cidades uma estátua da pequena sereia, inspirada nos contos do famoso autor de contos infantis, o dinamarquês Hans Christian Andersen. O moinho de Elk Horn foi construído em 1848, e por ocasião do bicentenário da independência americana, em 1976, foi desmontado e embarcado para a América, onde foi remontado novamente.

 

Outra atração famosa de Iowa é o festival de três dias, conhecido como 'Pella Tulip Time', organizado na pequena localidade de Pella e que teve origem com os primeiros colonos holandeses. Como é sabido, as tulipas encontraram na America do Norte um clima muito propício à plantação, e são encontradas em muitos estados de clima temperado. O festival costuma atrair muita gente, até mesmo de estados vizinhos.

Por outro lado, a cidade de Sioux City, situada a noroeste do estado, recebeu seu nome em homenagem aos índios desta tribo, muito numerosos em Iowa. Destaca-se na cidade a bela construção em formato de castelo com um relógio na torre, situada na principal avenida do centro. A principal atração da cidade é Stone State Park, o conhecido parque muito popular entre os moradores da região, de onde se tem uma bela vista da cidade, e boas trilhas para caminhada, bicicleta e mesas de piquenique. Como neste estado o jogo também é legalizado, outro programa local é embarcar num dos cassinos flutuantes que cruzam o rio Missouri, como o Belle of Sioux City, que tem cruzeiros com jogos, shows e música ao vivo.

Já outra característica do estado, que ficamos felizes em não poder conferir por nós mesmos,  é ser o estado americano onde mais acontecem Tornados.

 

Em Harrison County, quem quiser pode sentir um gostinho autêntico de vida rural, pois aqui diversas propriedades permitem que se colha direto do campo maçãs, amoras, abóboras e outros produtos locais. A gente colhe o que quiser, paga o valor correspondente e leva com a gente. A imagem à esquerda mostra uma das inúmeras propriedades rurais existentes às margens das estradas de Iowa.

Ao sul da cidade de Duboque, leste do estado, está outra das principais atrações de Iowa, e com paisagem bem diferente das predominantes acima do chão: As cavernas de Crystal Lake. O horário de visita é de 9 as 5 horas, diariamente, e o passeio tem um quilômetro de extensão.

 

Uma dos nomes mais cultuados por aqui é o de Buffalo Bill, nascido em Iowa, próximo a Le Claire, em 1846. Conta-se que William Frederick, após tem ganho um contrato de fornecimento de carne de búfalo com uma ferrovia que estava executando obras por aqui, em 1867, ganhou este apelido por ter matado quase cinco mil búfalos em cerca de oitos meses. Mas a chacina de tantos animais, ao contrário de lhe render um processo, lhe tornou famoso em todo o país e lhe animou a criar um número de circo, o Buffalo Bill's Wild West show, que fez muito sucesso percorrendo diversas cidades. Hoje os campos cultivados de Iowa não demonstram sinais daquela mortandade de Búfalos, mas nos faz pensar como elas seriam ainda mais bonitas se tantas raças animais não estivessem extintas por ação da ganância humana.

 

Iowa está situado numa região muito plana - conhecida como Central Plains, área do país compreendida entre o vale do Mississipi e as Montanhas Rochosas - e praticamente não tem montanhas nem vales, o que faz com que suas estradas sejam quase todas intermináveis retas, que tornam as viagens de carro em atividades soníferas. Ma,s fora este detalhe, a natureza de Iowa não é nada tediosa, desde que, claro, você aprecie cenários com muito campos lavrados, plantações, silos, arados e pequenas e tranqüilas localidades. Portanto se você curte cenários e paisagens rurais, Iowa é o lugar para ir. Este é o lugar para crescer, cultivar, plantar e progredir, ou como diz o monumento mostrado na foto acima, A place to Grow.

 

A música desta página é 'Iowa Song'. Para interromper sua execução pressione a tecla ESC.  

You asked what land I love the best, Iowa, tis Iowa,
The fairest State of all the west, Iowa, O! Iowa,
From yonder Misissippi's stream
To where Missouri's waters gleam
O! fair it is as poet's dream, Iowa, in Iowa.

 


Bandeira de Iowa