Inicio
Alabama
Arizona
California
Florida
Georgia
Idaho
Illinois
Indiana
Iowa
Kentucky
Louisiana
Maine
Maryland
Minnesota
Mississippi
Missouri
Nevada
New Jersey
New Mexico
New York
North Carolina
Ohio
Oklahoma
Oregon
Pennsylvania
South Carolina
Tennessee
Texas
Utah
Virginia
Washington
West Virginia
Wisconsin

 

 

 

 

 




 

 

 

 


Placa à beira da estrada na divisa estadual

O slogan oficial do estado do New Mexico, como mostra a placa de boas vindas à beira da estrada, é 'The Land of Enchantment', a Terra do Encantamento. Mas é preciso dizer que este é um encantamento diferente pois o estado de New Mexico situa-se em uma das regiões mais áridas do país, entre os desertos do Texas e Arizona, ao norte da fronteira com o México. Para quem gosta de verde esta não é exatamente uma região de natureza exuberante, mas para quem estiver disposto a ver a natureza com outros olhos, existe sim, muito encantamento nesta região. Não em forma de verde, mas sim de outras formas belas que a natureza também sabe apresentar. É tudo uma questão de interpretação. E também de disposição para enfrentar, durante os dias, o calor do deserto, e durante as noites, o frio das grandes altitudes.

   

Os encantos do New Mexico são apresentados de formas e matizes diferentes. A foto ao lado foi feita numa escarpa das Guadalupe Mountain, área montanhosa ao sul do estado. É um ponto privilegiado, pois permite observar uma extensão quase a perder de vista do terreno. E nesta hora é inevitável sentir uma sensação estranha, que poderia ser definida talvez como a sensação da imensidão, dos espaços vazios não conquistados pelo homem, da total ausência de civilização, sem sinal de celular ou de internet.


Guadalupe Mountain

Foram os espanhóis os primeiros europeus a chegar à região que, mais tarde, receberia o nome de Nuevo Mexico, liderados primeiramente pelo conquistador  Alvar Núñez Cabeza de Vaca, e mais tarde por Hernán Cortés de Monroy y Pizarro. Ambos vieram à procura de riquezas, principalmente ouro e prata. Em 1610 já haviam construído, em Santa Fe, que seria a capital estadual, e o Palacio dos Governadores, que resistiu à passagem do tempo, e ainda permanece como o mais antigo prédio público continuamente ocupados dos Estados Unidos.

Antes da chegada dos espanhóis, a região era dominada há séculos pelos nativos Pueblos e, como seria natural, eles não ficaram nada satisfeitos com a chegada daqueles estranhos conquistadores, trazendo armas e cavalos. A animosidade logo se transformou em guerra, e em 1680 os Pueblos conseguiram até mesmo expulsar os espanhóis de suas terras. Em 1692, no entanto, os conquistadores voltaram com reforços e conseguiram subjugar os nativos. Mesmo assim, muitas comunidades Pueblo resistiram, embora bastante enfraquecidas.


Construções de um Pueblo indígena

Uma imagem característica do New Mexico são os Pueblos, que serviam de habitação aos indígenas. Diversos pueblos foram preservados, continuam servindo de moradia e estão até mesmo abertos à visitação. Em todo o estado existem dezenas de pueblos, mas a maior parte deles infelizmente foi completamente descaracterizada pelos moradores atuais. O Pueblo mais conservado e que realmente vale uma visita é o de Taos, ao norte da cidade de Santa Fé. Taos foi construído por volta de 1450, e ainda permanece habitado. Como é muito visitado por turistas, há sempre indígenas prontos a conduzir os visitantes em tours.

Ainda hoje, a forte influência da cultura espanhola, mesclada à Pueblos, pode ser constatada em todo o New Mexico, não apenas na língua e nos nomes – o espanhol é muito falado na região – mas também na arquitetura, cultura, gastronomia e música e também em muitos artigos característicos da região, tais como artesanato, cerâmica, tapetes e jóias.

Poucas pessoas conseguem permanecer imunes ao encantamento oferecido por um longo trem serpenteando pela planície, com suas locomotivas coloridas e dezenas de vagões, alguns com formatos tão estranhos que nos fazem pensar: Para que servirão? E quem percorre as rodovias desta região quase sempre encontra como companhia imensas composições, freqüentemente puxadas por duas ou três locomotivas na frente de uma fila de vagões a perder de vista. Por aqui os trens são quase todos da Santa Fe, o que sempre nos chamava a atenção, pelo nome sonoro que parecia estar escrito em nossa própria língua, e que de alguma forma nos dava a sensação que estávamos em casa. Apesar da empresa ter o mesmo nome da capital estadual ela nunca chegou a atender aquela parte do New Mexico. O nome oficial da empresa é BNSF, e ela faz somente transporte de Carga.


Composição da Ferrovia Santa Fe

 


Tenda índia à beira da estrada

Não se vê mais quase destas tendas indígenas que sempre apareciam nos filmes de cowboys. As poucas que ainda existem funcionam mais como chamariz para turistas, e quase sempre atingem seu objetivo. Bem, pelo menos funcionou com a gente. Vimos a tenda ao passar pela estrada, próximo à Albuquerque, ela tinha sido montada em frente a um estabelecimento comercial dirigido por uma família de descendentes Navajos, onde eram vendidos tapetes, adornos indígenas, tótens, cabeças entalhadas de chefes indígenas famosos, com os típicos cocares de penas. mocassins, trajes indígenas etc.

De uma forma geral a situação dos indígenas do país é melancólica e, com raras exceções, a grande maioria vive de forma simples, sem acesso às conveniências da vida moderna, e ganha seu sustento do turismo, principalmente vendendo artesanato. Mesmo tendo sido contemplados com áreas agora designadas como reservas indígenas, é fácil constatar como eles foram os grande prejudicados pela chegada do homem branco e sua civilização. Anasazi, Navajos, Comanches, Apaches e outros, são hoje em dia pálidas e constrangedoras lembranças dos povos que, há 200 anos, cavalgavam por estas terras com orgulho e altivez.

 

Ao lado, uma foto tirada em Gallup, cidade no oeste do estado, quase divisa com o Arizona. Não deu para descobrir se esta cidade tem alguma coisa a ver com o célebre instituto de pesquisas, mas de qualquer forma o que encontramos aqui foi uma típica e tranqüila cidade do interior, com a característica especial de ter muitos habitantes de origem indígena. Gallup foi fundada em 1891, pela companhia de estradas de ferro Atlantic and Pacific Railroad, é a maior cidade da região, o que não quer dizer muito, já que esta região é quase toda desértica. A cidade fica próxima a algumas reservas indígenas, portanto não é de estranhas que se encontrem em sua principal avenida (foto ao lado) lojas com o nome de Indian Torch (Tocha India). Um lugar pacato, típico e ideal para sair da estrada e descansar do volante por uma hora ou duas.


Rua principal de Gallup

 


Bandelier National Monument

O Bandelier National Monument consiste numa área que preserva as antigas moradias e territórios Pueblos, ancestrais habitantes da região. Algumas desta moradias tem quase mil anos de idade e se estendem por um território de mais de cem quilômetros quadrados quase todo formado por áreas desérticas e altitudes médias de dois mil metros. Existe apenas uma pequena estrada, com pouco mais de cinco quilômetros de extensão, atravessando o parque, e quem desejar conhecer a fundo seus endereços arqueológicos deverá seguir pelas diversas trilhas, ao longo das quais podem ser apreciados petróglifos, pinturas em rochas, antigas estruturas dedicadas a rituais e cerimônias. O nome do parque foi dado em homenagem a Adolph Bandelier, antropólogo suíço, o primeiro a estudar as antigas civilizações desta área. O parque situa-se ao norte do estado, próximo à cidade de Santa Fe.

As terras áridas de New Mexico são ricas no subsolo, principalmente em jazidas de petróleo, zinco e cobre.  Também aqui estão as maiores reservas americanas de urânio, o que, durante a segunda guerra mundial, foi decisivo para a escolha desta região para sediar o centro de pesquisa de energia nuclear de Los Alamos, onde foi construída a primeira bomba atômica. Na época, o projeto de desenvolver a primeira arma atômica, considerado ultra-secreto, recebeu o nome em código de Manhattan Project, e foi desenvolvido em Los Alamos. Quando a arma ficou pronta, o primeiro teste nuclear da história também foi feito no estado, na localidade conhecida como Carrizozo.

A Região conhecida como Chaco Culture National Historical Park engloba as mais extensas e densas concentrações de Pueblos do sudoeste americano. São dezenas de locais abrigando ruínas, petróglifos e exemplares de arte pré-colombiana, com idade média estimada de mil anos. Esta região, conhecida como Chaco Canyon, foi um importante centro cultural dos povos Pueblos, e aqui podem ser apreciados vestígios de quinze complexos antes habitados, muitos deles construídos alinhados como a movimentação solar e ciclos lunares, o que demonstra o avançado grau de conhecimentos astronômicos daquela antiga civilização. Ainda hoje é considerado um local sagrados pelos descendentes Pueblos e Hopi. Esta é uma região extremamente árida e desértica, situada entre os municípios de San Juan County e McKinley, onde a vastidão e os horizontes distantes se impõem e impressionam muito os visitantes.


Chaco Culture National Historical Park

Além dos Pueblos, o território de New Mexico foi lar de outras etnias nativas famosas, como os Navajos e Apaches, sempre presentes nos antigos westerns de Hollywood.


White Sands

Uma paisagem bastante diferente do que predomina no restante do estado é oferecida por White Sands (areias brancas). Ocupando uma área de mais e quatrocentos quilômetros quadrados  e a quase mil e duzentos metros acima do nível do mar, a região é considerada o maior depósito natural de gipso (sulfato hidratado de cálcio cristalizado). Mas deixando os termos técnicos de lado, a verdade é que as pessoas vem até aqui simplesmente porque o lugar é bonito. Montanhas brancas, entremeadas com tufos de vegetação, e que contra o céu azul fornecem visuais incríveis e a alegria dos fotógrafos e dos turistas. White Sands National Monument fica situado 24 quilômetros ao sul da localidade de Alamogordo.

 

A nação indígena pode ter perdido a quase totalidade de suas terras e poderio para o homem branco, mas ainda hoje, felizmente, continua a cultivar muitas de suas tradições. Um dos melhores eventos para testemunhar isto é durante o Gathering of the Nations Powwow, o que corresponde mais ou menos a uma reunião anual das famílias indígenas. O evento acontece na arena coberta da universidade do New Mexico, em Albuquerque. Há exibição de danças com vestimentas típicas, competições, torneios, pratos típicos, artesanato e até escolha da Miss Indian World, um tipo de concessão aos novos tempos. A festa geralmente acontece em abril, e coincide com outras festas típicas, como a do Founders Day (Dia dos Fundadores), que celebra a fundação da cidade de Albuquerque, em 1706.


Gathering of the Nations Powwow

Até hoje os descendentes dos índios Apache, Pueblo, Suma, Hopi, Zuni e Navajo, vivem basicamente do artesanato, por isso, encontram-se em quase todo lugar por aqui postos de comércio, onde são oferecidos tapetes, trabalhos em prata, roupas índias, cocares, mocassins, cerâmica, colares e adornos com pedras semipreciosas da região. Muitas das peças são autênticas obra de arte indígena, e costumam ser vendidas por bons preços. 


Roswell

Foi na pequena Roswell, ao sul do New Mexico, 50 mil habitantes, que aconteceu aquele famoso incidente da queda do disco voador e captura de um alienígena, encoberto pelo governo americano. Bem, seja a história verdadeira ou falsa, o fato é que hoje em dia Roswell vive em função deste evento, e todos na cidade garantem aos turistas que sim, tudo aconteceu mesmo, e que tudo foi encoberto pelo governo americano.

Atravessando de carro as ruas centrais da cidade, o que mais se vê são lojas fazendo referência ao disco voador e ao alienígena capturado em Roswell. São fachadas de lojas, restaurantes e bares com cartazes, letreiros, luminosos em néon, onde a decoração tem sempre o mesmo tema: Homenzinhos verdes, discos voadores, espaçonaves, aliens, e seus cardápios alienígenas, menus especiais de discos voadores etc. A criatividade local não conhece limites. Até os postes de algumas ruas foram pintados de forma a lembrar olhos alienígenas. O evento teria ocorrido em 1947 e foi a única vez na história em que o governo americano reconheceu oficialmente ter obtido provas de vida extraterrestre, embora logo depois tenha voltado atrás e desmentido a declaração inicial. O assunto nunca mais foi satisfatoriamente explicado pelo governo, e continua a servir de tema a diversas produções de cinema e tv.

 

Santa Fe, a capital do New Mexico, é uma cidade histórica e totalmente diferente das cidades típicas americanas. É um dos locais que mais atrai turistas ao estado e a razão está principalmente em sua aparência, que faz lembrar um museu arquitetônico e cultural ao ar livre. A grande maioria de construções em sua parte central preserva o estilo indígena característico da região, semelhante aos pueblos. É uma das cidades mais antigas do país, e estima-se que foi fundada entre os anos 1050 e 1150, pelos nativos da região. "A Cidade Diferente", só permite novas construções dentro do estilo arquitetônico característico dos Pueblos (como na imagem ao lado), e tem vários locais que valem ser visitados, como o New Mexico Museum of Art, Museum of Indian Arts and Culture e a prestigiada Cathedral Basilica of Saint Francis of Assisi.


Construções de Santa Fe

 


Karl G Jansky Very Large Array Observatory

Situado nas remotas colinas à 80 quilômetros a oeste de Socorro, este conjunto de imensas antenas telescópicas vasculha sem parar o universo, estudando e observando buracos negros e outros fenômenos interestelares. O observatório de rádio astronomia é considerado o principal do mundo, e está equipado com 27 antenas, cada uma com diâmetro de 25 metros e peso de 209 toneladas. Elas foram dispostas no terreno na forma de um gigantesco Y, e trilhos permitem reposicionadas de forma a permitir um rendimento ideal das observações, de acordo com cada caso. Em resumo, o conjunto de antenas age como se fosse somente uma. O Karl G Jansky Very Large Array tem um pequeno museu , serviu de locação para o filme Contato, com Josi Foster, e oferece tours diários para visitantes, sem necessidade de fazer reservas.

 

O Museum of Nuclear Science & History é um museu dedicado aos tempos da guerra fria, e local da mais completa coleção do país de armas nucleares. Lá pode-se ver, entre outras coisas, as primeiras bombas atômicas e mísseis nucleares diversos, felizmente todos já desativados. Também há uma área onde ficam estacionados grandes bombardeiros, como o B-29, que jogou a última bomba atômica na 2a guerra, e o gigantesco B-52 que aparece nesta foto. O local serviu de locação a algumas cenas da série Breaking Bad, inteiramente gravada no New Mexico. Para visitar o local precisamos deixar na entrada nossa identificação - por questão de segurança - e nunca mais vamos esquecer o incrível bailado que o guarda de segurança fazia orientando o trânsito de entrada e saída do lugar. Pois é, não gravamos o evento em vídeo, e também nunca vamos nos perdoar por isso...


Museum of Nuclear Science & History

 


Capitan e seu Smokey Bear

Uma das poucas regiões verdes do New Mexico são as Capitan Mountains, ao sul do estado. A pequena cidade de Capitan, no alto das montanhas, destoa completamente do cenário desértico que predomina em quase todos lugares de New Mexico. Passamos por aqui de passagem, estacionamos à beira da estrada (que também é a rua principal da cidade), entramos no super mercado para comprar água e outras coisas e em menos de uma hora já tinha dado para conhecer praticamente toda a cidade de Capitan.

O urso de madeira que aparece na imagem ao lado é talvez o mais conhecido símbolo de Capitan. Ele chama a atenção dos viajantes que passam pela estrada 380 para o Smokey Bear, tradicional motel e restaurante da cidade. Conta-se que foi aqui que ele nasceu, e também é aqui que foi enterrado. Para quem não está ligando o nome à pessoa, Smokey Bear é a forma como é conhecido o urso símbolo do programa federal de prevenção e combate aos incêndios florestais no país, personagem muito freqüente em comerciais de televisão e cartazes encontrados nos parques nacionais.

 

Pouco ao sul da cidade de Roswell está situado Carlsbad Caverns National Park, provavelmente a principal atração turística de New Mexico. No estado existem dezenas de cavernas, mas Carlsbad é a mais profunda dos Estados Unidos, e custa a crer que escondida sob estes desertos monocromáticos exista um lugar tão incrível. Percorrer as entranhas desta caverna é, sem exagero, uma experiência impossível de esquecer, para o resto da vida. Todo trajeto interno é feito ao longo de vias pavimentadas, onde, por cerca de duas ou três horas, se sucedem câmaras, corredores, salões e ambientes diversos, iluminados artificialmente para que possamos apreciar as belezas deste mundo subterrâneo. Ao final do tour, um elevador conduz os visitantes de volta à superfície. O principal salão subterrâneo é conhecido como Big Room, e tem dimensões de 1.220x191x78 m.

Carlsbad é um lugar tão especial, que decidimos criar aqui no Viagens & Imagens uma página especialmente dedicada à ela, e que pode ser vista clicando em Carlsbad Caverns. Confira também o site oficial em Carlsbad Caverns.


Entrada de Carlsbad Caverns

Após o declínio do poderio espanhol nas Américas, New Mexico foi incorporado pelo Mexico, em 1821. Vinte e nove anos mais tarde, no entanto, após a guerra entre Estados Unidos e Mexico, a região foi anexada em 1850 pelos norte americanos, primeiramente como território, e em 1912 como um novo estado.


Albuquerque Plaza

Albuquerque é a maior cidade de New Mexico, foi fundada em  1706, tem forte influência cultural indígena, está situada a mais de 1600 m de altitude, ao norte do deserto de Chihuahuam e recebeu este nome em homenagem ao nobre espanhol  Francisco de la Cueva, conhecido como Duque de Alburquerque. A primeira coisa que vimos ao longe, quando nos aproximávamos da cidade, foram seus dois prédios com topo em formado de pirâmide, ocupados pelo Albuquerque Plaza e pelo Hyatt Regency Albuquerque. Eles representam para Albuquerque o mesmo que a estátua da liberdade para NY. E gostamos tanto de lá que criamos uma página especialmente dedicada à esta cidade. Confira em Albuquerque. Quanto ao estado de New Mexico, por três vezes estivemos lá, e o que vimos e guardamos na memória foi a lembrança de uma forte influência indígena e hispânica, de uma gente amigável, de dias quentes, noites frias, e de uma natureza totalmente diferente do que já conhecíamos. Uma terra de contrastes e que faz por merecer o lema 'The Land of Enchantment', a Terra do Encantamento.

 

A música desta página é 'Fair New Mexico' de Elizabeth Garrett. Para interromper sua execução pressione ESC.

 

Under a sky of azure, where balmy breezes blow,
Kissed by the golden sunshine, is Nuevo México.
Home of the Montezuma, with fiery hearts a glow ,
State of the deeds historic, is Nuevo México.

O, fair New Mexico, we love, we love you so
Our hearts with pride or flow , no matter where we go,
O, fair New Mexico, we love, we love you so,
The grandest state to know, New Mexico.

Rugged and high sierras, with deep canyons below;
Dotted with fertile valleys, is Nuevo México.
Fields full of sweet alfalfa, richest perfumes bestow,
State of the apple blossoms, is Nuevo México.

Days that are full of heart-dreams, nights when the moon hangs low;
Beaming its benediction, o'er Nuevo México.
Land with its bright mañana, coming through weal and woe;
State of our esperanza, is Nuevo México.

 


Bandeira de New Mexico

A bandeira do New Mexico consiste numa imagem do sol, como era representado pelos Zia, nativos desta região, contra um fundo amarelo.
Os Zia consideravam o sol como sagrado, assim como o número 4, razão pela qual seu sol era sempre representado com quatro raios.
Segundo a cultura Zia, cada ser vivo tinha quatro deveres na vida: Desenvolver um corpo forte, uma mente clara,
um espírito puro e a devoção pelo bem estar de todos os outros seres.