Inicio
Alabama
Arizona
California
Florida
Georgia
Idaho
Illinois
Indiana
Iowa
Kentucky
Louisiana
Maine
Maryland
Minnesota
Mississippi
Missouri
Nevada
New Jersey
New Mexico
New York
North Carolina
Ohio
Oklahoma
Oregon
Pennsylvania
South Carolina
Tennessee
Texas
Utah
Virginia
Washington
West Virginia
Wisconsin

 

 

 

 

 




 

 

 

 


Estrada US-201

Não são muito os turistas que, em visita a New York ou Boston, se animam a pegar a estrada e seguir mais longe ainda, rumo norte, até o estado do Maine. E a razão é que esta não é exatamente uma terra turística, no sentido tradicional da coisa. Com baixas temperaturas durante grande parte do ano e pouca densidade habitacional, o Maine é famoso principalmente por duas coisas: Alces e lagostas.

Mas, para quem procura aventuras diferentes, áreas quase intocadas pelo homem e contato direto com a natureza em estado quase puro, o Maine será uma experiência bem diferente. Seu interior, quase todo coberto por matas e florestas, é um santuário de diversas espécies animais, e o litoral, pontilhado de pequenas localidades, praias, enseadas, rochedos e penhascos é a certeza de um roteiro perfeito para esquecer dos lugares comuns e também do estresse das grandes cidades.

   

Alces estão praticamente em todos os lugares do Maine, e são quase um símbolo estadual. São caçados, preservados, perseguidos e admirados, num curioso relacionamento de sua gente com estes imensos cervídeos. Eles podem atingir mais de dois metros de altura, pesar 700 quilos e tem como marca registrada os grandes chifres, ao estilo de galhos de uma árvore, presente somente nos machos. Alces são animais tímidos, mas por vezes podem se tornar violentos, principalmente durante a época de acasalamento. Todos os anos dezenas de pessoas se envolvem em acidentes causados por alces geralmente ao atravessar estrada e serem colhidos por carros ou caminhões. Quem percorrer as estradas do Maine vai encontrar com muita freqüência plaquinhas (foto acima) alertando motoristas sobre trechos em que a presença de alces é mais frequente. E também vai encontrar diversas formas de homenagens os mais famosos habitantes do Maine, seja em estátuas, monumentos, cabeças empalhadas, nomes de hotéis, restaurantes e pousadas. Alce (em inglês Moose) é um nome muito frequente por estas paragens.

Mas nem só de alces vive o Maine. O estado é um dos líderes nacionais na produção de navios, importante pólo pesqueiro, possui um litoral extenso, repleto de belas e dramáticas paisagens e destaca-se ainda na produção de madeira e papel. Se alguém fosse descrever o Maine em três palavras poderia simplesmente diria: Mar, florestas e fazendas.


Monumento em forma de Alce

 


Comunidade litorânea

Pequenas localidades costeiras, onde a vida parece seguir num ritmo mais calmo, com portos e marinas repletos de embarcações de todos os tipos são uma imagem frequente do litoral do Maine. O estado tem um litoral com mais de cinco mil quilômetros de extensão, maior até mesmo que o litoral da famosa California. E tem também, ao longo do litoral, mais de três mil ilhas. Comunidades que durante os meses quentes viram animados points turísticos, e durante o inverno são freqüentadas somente pelos moradores. O litoral do norte é predominantemente rochoso, e ao sul, praias de areias brancas são encontradas com facilidade.  Passamos poucos dias percorrendo o estado, e na verdade não viemos até aqui por pura vontade de conhecer o Maine. Nosso objetivo era somente atravessar o estado a caminho do Canadá, mas acabamos encontrando tanto para ver, que foi inevitável chegarmos à conclusão que tínhamos que ficar mais tempo por lá. Maine merecia. 

 

Vale a pena tirar uma tarde para conhecer Cape Elizabeth, região litorânea próxima à cidade de Portland. Este trecho do litoral é dominado por diversos rochedos e falésias e trilhas diversas conduzem os visitantes à areia branca da praia, lá embaixo. Toda região é muito bonita, com estradinhas serpenteando próximo ao mar, ao longo das quais volta e meia surge algum simpático restaurante, onde lagosta, claro, é sempre o prato principal. Siga depois até Fort William, local onde, em 1894 foi construída uma importante fortificação militar, e que teve seu apogeu durante a segunda guerra mundial, protegendo a costa americana contra eventuais embarcações inimigas. Desativado em 1963, o complexo militar de Fort Williams transformou-se agora numa das principais atrações turísticas da área, e conta com parques, jardins, praias, costuma sediar diversas competições de esportes aquáticos e tem como marca registrada seu belo farol, inaugurado em 1791.


Farol de Fort William

Existem mais de sessenta faróis ao longo do litoral estadual, sendo que o de Quoddy Head situa-se no ponto oriental extremo do país, próximo à cidade de Lubec, quase na divisa com o Canadá. 


Maine State House, em Augusta

Augusta é a capital do Maine, uma cidade muito  (na verdade até demais) tranqüila, onde a sede do congresso estadual, na foto ao lado, destaca-se entre os poucos prédios altos da cidade. Passamos uma noite em Augusta, num Quality Inn um pouco afastado do centro, e no dia seguinte fomos conhecer a cidade, mas a impressão que tivemos ao percorrer a rua principal (Water street) é que por aqui, ao menos nas ruas, é sempre domingo, pois se vê pouquíssima gente nas calçadas e quase não há nada para fazer na cidade. Augusta não tem shoppings e o melhor comércio situa-se próximo à junção da I-95 com a Western Avenue, onde há um Plaza com lojas da Sears, TJ Max e outras. Bem próximo, do lado leste da I-95, existe uma boa loja da Target.

 

Augusta é a capital do estado desde 1832, quando substituiu Portland como sede do poder executivo. A razão da mudança foi estabelecer a capital numa região central do território. Maine foi parte do estado de Massachusetts até 1820, quando então passou a fazer parte da União (o país) como estado independente. Toda região norte do Maine faz fronteira com o Canada, o sudoeste faz divisa com o estado americano de New Hampshire, e o sudeste é banhado pelo Oceano Atlântico. Este é um dos estados americanos que faz parte da região conhecida como New England.


Water Street, principal rua de Augusta

Vídeo: Ruas de Augusta / Centro da Cidade


Motel em cidade do interior

Florestas cobrem cerca de 90% do território estadual, e ao percorrer as estradas do interior, tem-se a impressão que espaço é o que não falta por estas terras. A densidade geográfica é de apenas 16 habitantes por quilômetro quadrado. Pequenas construções de madeira, pousadas, escolas, aparecem de vez em quando e o que domina mesmo é o cenário verde das matas e rios. O apelido do estado - The Pine Tree State (o Estado do pinheiro) tem origem na grande quantidade de florestas de pinheiros que recobrem o território estadual. com destaque para o famoso Pinheiro Branco (White Pine), a maior árvore conífera do nordeste americano, e que na época colonial era utilizado na confecção de mastros de navios. 

 

Aqueles que nascem no Maine são conhecido como 'Mainers', e Mainers gostam muito de caçar, sendo que o Alce, coitado, a julgar pela quantidade de cabeças que vimos expostas em fachadas de prédios, é uma das caças mais procuradas. Mas para caçar as regras são rígidas, é necessário possuir uma permissão, obedecer à temporada (setembro a novembro), e ter idade mínima, entre outros requisitos. A população de alces do estado é estimada em setenta mil cabeças e eles podem ser caçados com armas de fogo e até mesmo com arco e flexa, mas cada caçador só pode abater uma alce por ano. As permissões para caça são concedidas basicamente aos residentes do estado, e a procura é tanta que o estado organiza a 'Moose Lottery' (loteria de alces), onde os canditados pagam uma taxa para ter direito a participar do concurso que irá distribuir aos ganhadores uma permissão anual para caçar. Não nos atraiu nem um pouco e para falar a verdade consideramos lamentável qualquer atividade que resulte no abate ou sofrimento de um animal somente a título de esporte. Mas, como se sabe, americanos gostam de armas e adoram caçar.


Mercado em West Forks

 


Pousada à beira da estrada

Por estar situada junto à fronteira como Canadá, região de Quebec e onde o idioma francês predomina, cerca de 5% dos habitantes do Maine tem o francês como principal idioma. A melhor época para visitar o estado é durante o verão (junho a agosto), quando as temperaturas médias oscilam entre 15 e 25 graus. Durante o inverno o frio é intenso, sendo que neva muito forte principalmente na região norte do estado e a temperatura varia entre zero e 20 graus negativos. 

Uma curiosidade do Maine é que a cidade de Eastport, dentre todas do país, é a que está situada mais à leste, e por isso seus habitantes se orgulham de dizer que, a cada dia, ela é o local onde o sol nasce sobre a América

 

Graças a suas extensas florestas, o Maine também é conhecido como Lumber State (o Estado da madeira), o que permitiu que grandes indústrias de produção de papel se estabelecessem aqui. Antes de ser colonizado pelos homens brancos, o estado era povoado por aproximadamente 25 mil nativos da etnia Algonkin, que habitavam vilas ao longo dos principais rios. Após a chegada dos colonizadores, os índios resistiram por quase duzentos anos, quando finalmente foram vencidos. Ainda hoje, dois trechos do território estadual são objeto de disputa entre Estados Unidos e Canadá. Estas regiões, conhecidas como Machias Seal Island e North Rock, estão situadas no extremo leste do Maine e os dois países reclamam autonomia sobre as mesmas.


Residências em localidade do interior

 



Marina de Portland

Portland, situada junto ao litoral sul, é a maior cidade do estado, com população de setenta mil pessoas. É de longe o centro da vida cultural, artística e histórica do Maine. É também o principal porto do estado e barcos e iates podem ser vistos às centenas ancorados em suas diversas marinas. Turistas que apreciam ruas mais movimentadas, bons restaurantes e espaços culturais, vão curtir passar um dia em Portland. Os locais mais atraentes da cidade, em termos turísticos, são Old Port (porto histórico) e Arts District (corredor cultural, situado no centro). Entre as principais atrações destas áreas, vale a pena visitar o Portland Museum of Art e o Maine Historical Society & Museum. Destacam-se ainda a Cathedral of the Immaculate Conception, erguida em 1854, e o imponente prédio de granito da Custom House, marco histórico da cidade desde 1872. E não deixe de tirar ao menos uma hora para percorrer os parques e marinas da cidade. O melhor shopping da cidade é o Maine Mall, situado próximo do aeroporto.

 

 

Se percorrer o interior do estado é uma aventura onde se pode apreciar muitas florestas, lagos, rios, alces e ursos, uma jornada pelo litoral do Maine é ainda mais emocionante. São mais de cinco mil quilômetros de costas, com um visual que parece nunca se repetir. A principal rodovia que cruza o estado é a I-95, conhecida como Maine Turnpike, mas ela segue próxima ao litoral somente no trecho sul do estado, sendo que após Portland, o ideal é seguir pelas estradas secundárias, sempre rumo norte, na direção de Lubec.  De tempos em tempos surgem estradas locais, que conduzem a dezenas de pequenas localidades à beira mar, e também praias, matas, rochedos, baías, ilhas e uma infinidade de localidades quase desertas. É um roteiro para ser percorrido sem pressa, e que com certeza irá fornecer visuais incríveis. Ao longo da costa, em áreas de maior movimento, podem ser encontrados dezenas de motéis, bed and breakfast e áreas de camping, com opções de hospedagem para todos os gostos.



Trecho rochoso do litoral norte

Dica: Quem estiver pretendendo aproveitar o passeio à região norte do Maine para conhecer também um pedacinho do Canadá, basta atravessar a FDR Memorial Bridge, que liga os dois países, conectando a cidade de Lubec à Campobello Island, ilha canadense situada na província de New Brunswick. A travessia também pode ser feita por ferry. Mas, já que a ilha não tem outras pontes para o Canadá continental, quem pretende ir mais além deve, de preferência, pegar a rota que conduz à cidade de Calais, que faz a principal fronteira norte do Maine com o Canadá. Por outro lado, quem pretende seguir até a cidade de Montreal, deve optar pela rodovia US-201, a partir de Augusta.  A estrada é praticamente desertar, e só de vez em quando se cruza por algum outro veículo. E não esqueça de levar uns sanduíches no carro, porque nesta parte do interior do estado não existem muitos restaurantes à beira da estrada. 


Lagosta servida à moda do Maine

Maine responde por cerca de 90% da produção nacional de lagostas e nos anos 40 resolveu organizar um evento para impulsionar a economia local e atrair turistas, que em poucos anos havia se transformado num sucesso. O Lobster Festival (Festival da Lagosta), geralmente é realizado entre fins de julho e início de agosto, e inclui desfiles, eventos diversos, artesanato, música, corridas, shows, concursos culinários, recreação, e claro, muita gastronomia, onde as lagostas são o destaque, preparadas de todas as formas imagináveis. Há mais de sessenta anos, o Lobster Festival é um dos mais famosos eventos turísticos de Maine e é realizado em na cidade de Rockland.

Curiosidade: Nem só de lagostas e alces vive o estado. Maine responde por 99% da produção nacional de uma frutinha que os americanos adoram, a Blueberry. Conhecida no Brasil como Mirtilo, esta bolinha azulada, além de ser antioxidante, tem propriedades benéficas para a saúde, reduzindo o colesterol e a taxa de açúcar no sangue, auxiliando no combate à perda de memória e na circulação. O blueberry é usado em receitas de panquecas, rabanadas, tortas, molhos, pães, coberturas e muitas outras delícias.

Sim, existe uma Moscou nos Estados Unidos, e ela fica no Maine. Não deixa de ser irônico encontrar uma cidade homenageando a capital da nação que nas últimas décadas tem dado tanta dor de cabeça aos americanos. E foi por pura curiosidade que, ao ver a plaquinha no gramado, indicando a escola primária de Moscow, resolvemos parar e fazer algumas fotos. A comunidade surgiu em 1783, ainda com outro nome, mas em 1812 foi rebatizada com este nome em homenagem à capital russa, que havia sido incendiada por seus próprios habitantes, para não deixá-la servir às tropas franceses de Napoleão. Enquanto ficamos em Moscou não vimos ninguém, nem na escola nem em qualquer outro lugar. Ficamos depois sabendo que a cidade tem população de 512 habitantes e uma densidade populacional de um habitante por quilômetro quadrado, o que nos fez pensar como será viver num lugar onde não se vê ninguém pelas ruas.


Placa em escola de Moscow

 


Típico cenário do interior do Maine

Maine é um lugar bem abastecido pelas águas, pois conta com mais de cinqüenta mil quilômetros de rios e córregos e mais de seis mil lagos de diversos tamanhos. Ao percorrer as estradas do interior, a toda hora encontramos paisagens como a mostrada ao lado, cenários aparentemente intocados pelo homem, e é quase irresistivel parar e entrar pela mata adentro, explorando estas paisagens selvagens. A população do estado situa-se principalmente nas áreas costeiras. 

Em certos trechos do estado, principalmente na região montanhosa, a natureza permanece praticamente intocada, com raras construções de quando em quando. Com tantas florestas, a indústria madeireira logo se tornou também uma importante atividade econômica local, assim como a de produção de papel. Menos conhecida, mas também importante, é a produção local de batatas, cultivadas principalmente em Aroostook, norte do estado. Calçados, maças, aviários e laticínios são também itens importantes na economia local.

 

O nome do estado tem origem no termo 'Mainland', que em inglês pode ser traduzido como 'Terra principal' ou 'Terra Mãe'. A população do estado, de acordo com o último censo, é de 1,3 milhão de habitantes e este é o único estado americano a fazer divisa com somente outro estado, no caso, New Hempshire. Os outros limites estaduais são com o Canadá e o Oceano Atlântico. Dentre todos os estados americanos, Maine tem o maior percentual de habitantes com origem francesa, e ao mesmo tempo, o menor percentual de habitantes com origem hispânica. Cerca de 98% da população do estado são da raça branca, 0,5% da raça negra e 0,5% da asiática. Na região norte do estado, ainda é comum encontrar famílias que tem o francês como idioma do dia adia, inclusive em suas residências.


Construções residenciais em área urbana

Os dois principais hubs aéreos do estado são o Portland International Jetport, na cidade de Portland, e o Bangor International Airport, em Bangor, com ligações diárias para diversos pontos do país e Canadá. E quem pretende viajar de carro pode ficar tranqüilo, pois , como no resto do país, as rodovias são excelentes, bem pavimentadas e sinalizadas,


Estátua de Paul Bunyan em Bangor

Bangor é a terceira maior cidade do estado, e no passado ficou famosa graças à exploração da madeira. Grandes empresários enriqueceram derrubando praticamente todas as árvores da região. Por esta razão, Bangor também presta homenagem à Paul Bunyan, o conhecido personagem. Contam os livros que Paul era um lenhador gigante, e com seu machado era capaz de derrubar dezenas de árvores de uma só vez. Sua história foi popularizada graças aos lenhadores locais, que o viam, na época, como exemplo de coragem e determinação. Ganhou ainda mais notoriedade quando, em 1916, virou peça publicitária de uma companhia madeireira local. Mais tarde Paul apareceu também em tirinhas diárias de jornais e desenhos animados. Ainda hoje Paul Bunyan é um importante ícone da cultura americana e talvez sua fama seja compreensível numa época em que ninguém se preocupava em preservar a natureza. Hoje em dia, no entanto, duvidamos que alguém consciente fosse considerar Paul um herói. Seja como for, em Bangor, junto às margens do rio Penobskot ainda se encontra a imensa estátua em sua homenagem, inaugurada em 1959.

Mais informações sobre o estado em Visit Maine

A indústria do turismo tem um papel importante na economia local, mas não espere encontrar parques temáticos ou coisas do gênero. O turismo no Maine é todo direcionado para práticas ao ar livre, e atrai em sua maioria os adeptos da caça ( principalmente ursos, alces e veados), assim como pesca e camping. Como é um estado em que neva muito durante o inverno, esportes praticados na neve também são bastante populares. Para o turista tropical que não tem interesse em caçar ou curtir a neve, a dica é simplesmente curtir a natureza, os parques estaduais, matas, córregos, rios, ilhas,  e se possível escolher um bom lugar para acampar. Entre os parques mais  visitados da região está o Arcadia Nacional Park, situado aproximadamente no ponto central da costa, e que oferece belos cenários. Mas na verdade, não é nem necessário visitar um parque oficial para encontrar belos cenários como este. Percorrer de carro as estradas do Maine e conhecer suas praias,  falésias, matas e lagos será com certeza um prazer e uma aventura inesquecível.

Principalmente, se você encontrar um alce pela frente.  :-)


Arcadia National Park

 

 

A música desta página é Maine State Song. Para interromper sua execução pressione a tecla ESC.

Grand State of Maine, proudly we sing
To tell your glories to the land
To shout your praises till the echoes ring
Should fate unkind send us to roam
The scent of the fragrant pines,
The tang of the salty sea will call us home.

Oh, Pine Tree State Your woods, fields and hills
Your lakes, streams and rockbound coast
Will ever fill our hearts with thrills
And tho' we seek far and wide
Our search will be in vain To find a fairer spot on earth
Than Maine! Maine! Maine!

 



Acima, a bandeira do Maine. Ela traz no centro o brasão estadual, no qual um alce repousa sob um pinheiro,
De cado lado, um pescador e um fazendeiro, em referência às primeiras atividades desempenhadas no estado.
Acima, brilha a Estrela Polar e a inscrição adotada como lema estadual: 'Dirigo' (eu guio, em latim).