Inicio
Akershus
Amboise
Angers
Arundel
Audley End
Azay le Rideau
Bamburgh
Beaumaris
Blackness
Blenheim
Blois
Bodiam
Budavari
Caernarfon
Caerphilly
Cardiff
Carlisle
Chambord
Charlottenburg
Chantilly
Chenonceau
Chepstow
Cliffords
Conciergerie
Conwy
Criccieth
Doune
Dover
Edinburgh
Ewloe
Fontainebleau
Frederiksborg
Glamis
Hampt Court
Harlech
Hatfield
Heidelberg
Hever
Hohenschwagau
Langeais
Leeds
Linlithgow
London Tower
Neuschwanstein
Newcastle
Norwich
Nottingham
Nymphenburg
Pena
Penshurst
Pierrefonds
Prazsky
São Jorge
Schonbrunn
Scone
Southsea
Stirling
Tonbridge
Urquhart
Versalhes
Villandry
Vincennes
Warwick
Wilanow
Windsor

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

O castelo de Glamis (os escoceses pronunciam Gláms, com a letra A bem aberta) é considerado o castelo mais mal assombrado da Escócia. Verdade ou não, sua imponência rivaliza em grandeza com sua história, e se você está de passagem por Edimburgo, capital daquele país, uma visita à Glamis é algo imperdível. Perfeitamente conservado por dentro e por fora, ele é tudo que amantes de castelos esperam encontrar. E não decepciona.

   

No século VIII o local era tido como sagrado e dizem mesmo que um santo de nome Fergus veio da Irlanda para pregar e morreu no local. Talvez por isso os reis da Escócia tenham decidido iniciar uma construção neste mesmo endereço. Ela não tinha como objetivo ser uma fortaleza, pois foi erguida num terreno baixo, rodeado pela vegetação. Funcionava inicialmente como refúgio para os soberanos caçarem pelas redondezas.

Em 1264 Glamis se tornou um Thaneage, o que significava que o rei tinha cedido ao senhor daquele castelo o direito de controlar toda uma região. A partir daí, a história de Glamis esteve sempre ligada à coroa, sendo que foi Sir John Lyon of Forteviot quem, em 1377, iniciou a linhagem de barões e condes de Strathmore, cujos descendentes são até hoje os proprietários, e continuam morando no castelo

Site oficial: Glamis Castle

O castelo começou a tomar a forma atual em 1400, quando Sir John Lyon II decidiu aumentá-lo, e entrou definitivamente para a realeza em 1923, com o casamento de Lady Elizabeth Bowes Lyon, filha do décimo quarto conde de Strathmore com o príncipe Albert. Mais tarde, Lady Elizabeth ficaria conhecida como a Rainha Mãe.

A visita ao castelo é feita em grupos conduzidos por guias, que em cerca de uma hora contam alguma coisa da história de Glamis. Durante o tour percorremos vários aposentos, como os apartamentos reais, a cripta, o salão conhecido como Duncan's Hall, e a capela, onde dizem que freqüentemente surge no final do dia a imagem de uma bela jovem ajoelhada, rezando.

Vídeo: Glamis Castle

O gramado que rodeia o castelo é muito bem cuidado e quando estivemos lá estava repleto de ovelhas brancas, que davam ao local um toque campestre adicional.

A propósito, apesar da fama de Glamis, não vimos nenhum fantasma lá em nossa visita, e não ficamos nem um pouco chateados com isso. Essa experiência só iria acontecer, inesperadamente, em Linlithgow Palace, alguns dias mais tarde (veja a página Linlithgow).

Quem vem de Edinburgh e deseja visitar o castelo, basta seguir rumo norte, pela auto-estrada A90/M90. Pouco depois de passar pela cidade de Dundee, dobre à esquerda na estrada A928, e o castelo estará dez quilômetros à frente. O trajeto até leva pouco mais de uma hora

 

 

Todas as músicas de Castelos e Palácios são reproduções de autênticas canções medievais ou renascentista .
Para interromper a execução pressione a tecla ESC.