Viagens & ImagensWarwick Castle

Viagens & Imagens no Facebook  Viagens & Imagens no Youtube  Siga o Viagens & Imagens no Twitter  Viagens & Imagens no Panoramio  Viagens & Imagens no Google+  Viagens & Imagens no Flickr

Nesta página estão  fotos e informações sobre o castelo de Warwick, situado em Warwick, Inglaterra.

 

Inicio
Akershus
Amboise
Angers
Arundel
Azay le Rideau
Bamburgh
Beaumaris
Blackness
Blenheim
Blois
Bodiam
Budavari
Caernarfon
Caerphilly
Cardiff
Carlisle
Chambord
Charlottenburg
Chantilly
Chenonceau
Chepstow
Cliffords
Conciergerie
Conwy
Criccieth
Doune
Dover
Edinburgh
Ewloe
Fontainebleau
Frederiksborg
Glamis
Hampt Court
Harlech
Hatfield
Heidelberg
Hever
Hohenschwagau
Langeais
Leeds
Linlithgow
London Tower
Neuschwanstein
Newcastle
Norwich
Nottingham
Nymphenburg
Pena
Penshurst
Pierrefonds
Prazsky
São Jorge
Schonbrunn
Scone
Southsea
Stirling
Tonbridge
Urquhart
Versalhes
Villandry
Vincennes
Warwick
Wilanow
Windsor

 

 

 

 

 

 


 

 

Warwick é um dos maiores castelos da Inglaterra. A primeira construção neste local foi erigida em 914, por ordem de Ethelda, filha do rei saxão Alfred. Seu objetivo era proteger o povoado das invasões Vikings. Após a chegada de William, tudo mudou na ilha. Pouco a pouco ele e seu exército Normando foram conquistando os territórios saxões, e construindo castelos para assegurar seu domínio. Warwick foi um destes, e sua construção foi iniciada em 1068.

De inicio bastante rudimentar, em nada era semelhante ao que hoje existe. O local escolhido, junto ao rio Avon, garantia o controle de eventuais embarcações ameaçadoras.  Em 1088, William concedeu a Henry de Beaumont a posse das terras de Warwick. Embora tosco, o castelo original já tinha seu Great Hall. Este aposento, presente em todos castelos, era sempre a peça maior e mais importante, e servia como centro do castelo. 

No Great Hall eram realizados os banquetes, recepções, julgamentos, importantes audiências e outro eventos promovidos pelo senhor do castelo. O local também servia como dormitório. Assim, é de se esperar que o ambiente não fosse muito limpo. As precárias condições de higiene da época, somadas ao odor natural das pessoas que quase nunca tomavam banhos, ventilação deficiente, poeira, fumaça e resíduos do fogo da lareira central, geralmente davam um cheiro característico e nada agradável ao principal aposento do castelo. 

 

Depois de Henry de Beaumont, cinco gerações sucessivas usaram o título Conde de Warwick, até que o último membro da linhagem, Thomas de Beaumont morreu em 1242 sem deixar herdeiros. Como conseqüência, o castelo, as terras e o título passaram à sua irmã, Margaret e seu marido John De Plessis, os quais providenciaram, em 1260, que toda a estrutura de madeira do castelo fosse substituída por pedras.

O Great Hall que hoje vemos em Warwick (foto 3, abaixo), teve sua construção iniciada no século 14, foi reconstruído no século 17, destruído por  um incêndio em 1871, e novamente modificado no século 19. É o maior e mais impressionante aposento do castelo. Lá estão em exibição armaduras diversas do século 16, e um grande caldeirão, conhecido como Guy’s Porridge Pot (Pote de Porridge de Guy). O Nome Guy é em referência ao décimo senhor e conde de Warwick, e Porridge é o nome de um prato muito popular nesta região. 

Margaret  e John de Plessis não deixaram herdeiros, assim Warwick passou às mãos de seu primo William Mauduit em 1263, o qual ganhou o título de Barão. Mas como resultado de disputas entre nobres e o rei, e como William havia escolhido o lado errado para lutar, acabou perdendo o castelo e foi aprisionado. Seu sobrinho William de Beauchamp  foi o próximo a herdar a propriedade. Como comandante militar durante o reinado de Edward I, William acumulou muitas glórias e fortuna, e Warwick passou a ser o retrato deste sucesso. Foi este o início de um período de 148 anos de esplendor para o castelo. 

 

O filho de William, Guy de Beauchamp, deu seqüência aos anos de glória, e chegou a ser um dos membros da ordem de condes cavaleiros conhecida como Ordainers, que chegaram a ter muita influência sobre o rei e sua forma de governar. Um de seus inimigos políticos, acusado como responsável pelos gastos exagerados da realeza, Sir Gaveston, foi trazido a Warwick, julgado numa assembléia realizada no Great Hall, condenado por traição, e logo após, levado para a colina ao lado do castelo, onde foi decapitado. Abaixo, foto batida no portão principal do castelo.

O filho de Guy, Thomas de Beauchamp, nascido em 1329, chegou a ser um dos cavaleiros preferidos do rei. Teve atuação destacada na Guerra dos Cem Anos, contra a França, participou das batalhas de Crecy (1346), e Poitiers (1456), e chegou a ocupar o posto de conselheiro militar de Black Prince (o Príncipe Negro), um dos monarcas mais míticos da história da Inglaterra.

Thomas foi ainda o responsável pelo início das grandes reformas ocorridas em Warwick no século 14. É deste período a construção das grandes torres e da muralha de pedra do castelo. Um dos pontos de história mais horripilante do castelo é sua masmorra (dungeon), acessível através de vinte e quatro estreitos degraus ao lado da grande torre. Aquela peça com paredes de pedra, encravada no subsolo, escura e sem ventilação, recebeu muitos hospedes, inclusive diversos franceses.

Ainda mais aterrorizante era a masmorra da masmorra, o que na prática nada mais era que um buraco no fundo da masmorra, e graças a isto passou a ser conhecida pelos prisioneiros franceses como oubliete, o que significava que os ali jogados estavam fadados a morrer no esquecimento.

Uma das mais famosas vítimas da masmorra de Warwick foi o próprio rei Edward IV, capturado durante a Guerra dos Roses. Para quem se interessar pelo assunto, uma amostra dos horrores e equipamentos de tortura encontrados nas masmorras da idade média pode ser visto no museu de cera London Dungeon, em Londres.  Após tantas guerras o castelo ficou muito danificado, e em 1604 foi entregue pelo rei James I a Sir Fulke Greville, mas este foi assassinado em 1628 na torre conhecida com Ghost Tower (torre fantasma) de Warwick, e a propriedade passou a seu filho, Robert Greville, conhecido como 2o Lord Brooke.

Lord Brooke deu início a uma ampla e custosa reforma no castelo, que fez com que Warwick voltasse a mostrar a imponência de outras épocas. Com a chegada do século 18 Warwick entrou num período ainda mais próspero, com nova decoração interna, e aquisição de tapeçarias, pinturas e mobílias de várias épocas. Em 1978, David Greville vendeu o castelo para o grupo Tussaud, controlador dos famosos museus de cera europeus, o qual continuou a realizar grandes obras no castelo, e abriu novas áreas à visitação pública. 

Hoje, a visita ao Castelo de Warwick é uma experiência memorável. O conjunto de jardins, torres, salões, masmorra, aposentos reais e dos serviçais, bem como suas mobílias, vestimentas, armas medievais, armaduras, retratam com exatidão e rigor toda a rica história de um dos maiores e mais famosos castelos da Inglaterra.

Mais informações em Warwick.

 

Quer deixar uma mensagem no Viagens & Imagens? Utilize o Guest Book 1 (nesta opção você terá uma resposta junto à sua mensagem)
ou o Guest Book 2 (opção para quem não necessita resposta). As mensagens estarão visíveis em pouco tempo.

Todas as músicas de Castelos & Palácios são reproduções de autênticas canções medievais ou renascentistas.