Inicio
Akershus
Amboise
Angers
Arundel
Audley End
Azay le Rideau
Bamburgh
Beaumaris
Blackness
Blenheim
Blois
Bodiam
Budavari
Caernarfon
Caerphilly
Cardiff
Carlisle
Chambord
Charlottenburg
Chantilly
Chenonceau
Chepstow
Cliffords
Conciergerie
Conwy
Criccieth
Doune
Dover
Edinburgh
Ewloe
Fontainebleau
Frederiksborg
Glamis
Hampt Court
Harlech
Hatfield
Heidelberg
Hever
Hohenschwagau
Langeais
Leeds
Linlithgow
London Tower
Neuschwanstein
Newcastle
Norwich
Nottingham
Nymphenburg
Pena
Penshurst
Pierrefonds
Prazsky
São Jorge
Schonbrunn
Scone
Southsea
Stirling
Tonbridge
Urquhart
Versalhes
Villandry
Vincennes
Warwick
Wilanow
Windsor

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

Stirling Castle é, juntamente com o castelo de Edinburgh, o único castelo totalmente identificado com a história e com as tradições da Escócia. São praticamente símbolos do país, de sua autonomia, tradições. São praticamente símbolos do orgulho nacional escocês. Ambos tem diversos pontos em comum, inconfundíveis, que comprovam sua profunda participação nos eventos que formaram esta nação. E ambos foram construídos sobre rochas vulcânicas e serviram como residência para reis escoceses, os quais foram, aos poucos, aumentando as defesas dos castelos, suas fortificações e recursos militares, até se tornarem fortalezas praticamente inexpugnáveis.

   

Durante grande parte da idade média, a capital do país não era necessariamente uma cidade, mas sim o local onde o rei se encontrava em determinado momento. Se o rei estava aqui, a capital era aqui. Se o rei estava lá, a capital era lá, e assim por diante. Em conseqüência disto, Stirling foi, na prática, junto com Edinburgh, a capital da Escócia durante muito tempo, já que o monarca passava a maior parte de seu tempo entre as duas cidades. Construído no alto de um rochedo, próximo à extremidade navegável do rio Forth, importante via de comércio Escocesa, e na interseção das principais estradas do país, esta posição lhe permitia controlar todas as atividades em volta. Os primeiros registros conhecidos do castelo datam do século XII, quando nele residiram integrantes do Clan Canmore, um dos mais influentes clãs escoceses.

 

Foi o rei Alexander I quem mais se identificou com o castelo de Stirling e deu ordem ara iniciar a construção de uma capela em suas dependências. Foi neste mesmo local que o rei faleceu, em 1124.

Em 1174 o castelo foi cedido à Inglaterra, como parte de um acordo para permitir a libertação do rei Escocês William, aprisionado pelos ingleses na batalha de Alnwick. Em 1189, no entanto, os escoceses conseguiram conquistar o castelo de volta, mas isto não trouxe paz ao local, muito pelo contrário, pois este o ponto inicial de uma longa séria de batalhas sangrentas entre escoceses e ingleses, pelo domínio da região.

Durante séculos Stirling Castle foi um ponto marcante na luta dos Escoceses por sua independência, liderados em grande parte por William Wallace (o Braveheart do filme estrelado por Mel Gibson). Em 1540, James I ordenou a construção de um palácio na ala sul do castelo, fazendo com que ele deixasse de ser exclusivamente uma fortificação militar. Foi na capela deste palácio onde Mary, Queen of Scotts, a mais famosa rainha escocesa foi coroada, em 1543.

Site oficial: Stirling Castle

 

Durante os séculos seguintes, o castelo passaria por inúmeras reformas, ampliações e incêndios, que iriam modificá-lo bastante. Foi apenas em 1906 que foi dado início a um programa de recuperação de Stirling, visando sua recuperação histórica. No entanto como o castelo continuava ocupado pelo exército até 1964, foi só a partir daí que uma completa recuperação pode ser iniciada.

O Castelo está situado bem no centro da cidade de Stirling, coração da Escócia, cerca de quarenta quilômetros ao norte de Glasgow e ninguém que passe por aqui pode deixar de conhecer esta impressionante fortaleza, um dos símbolos principais da história e das tradições escocesas.

 

Todas as músicas de Castelos e Palácios são reproduções de autênticas canções medievais ou renascentistas.
Para interromper a execução pressione a tecla ESC.