Viagens & ImagensSchloss Heidelberg

Viagens & Imagens no Facebook  Viagens & Imagens no Youtube  Siga o Viagens & Imagens no Twitter  Viagens & Imagens no Panoramio  Viagens & Imagens no Google+  Viagens & Imagens no Flickr
 

Nesta página estão  fotos e informações sobre o castelo de Heidelberg situado em Heidelberg, Alemanha.

 

Inicio
Akershus
Amboise
Angers
Arundel
Azay le Rideau
Bamburgh
Beaumaris
Blackness
Blenheim
Blois
Bodiam
Budavari
Caernarfon
Caerphilly
Cardiff
Carlisle
Chambord
Charlottenburg
Chantilly
Chenonceau
Chepstow
Cliffords
Conciergerie
Conwy
Criccieth
Doune
Dover
Edinburgh
Ewloe
Fontainebleau
Frederiksborg
Glamis
Hampt Court
Harlech
Hatfield
Heidelberg
Hever
Hohenschwagau
Langeais
Leeds
Linlithgow
London Tower
Neuschwanstein
Newcastle
Norwich
Nottingham
Nymphenburg
Pena
Penshurst
Pierrefonds
Prazsky
São Jorge
Schonbrunn
Scone
Southsea
Stirling
Tonbridge
Urquhart
Versalhes
Villandry
Vincennes
Warwick
Wilanow
Windsor

 

 

 

 

 

 


 

 

O local onde o Castelo de Heidelberg foi construído, alguns quilômetros ao sul de Frankfurt, já era habitado há muito tempo. O nome Heidelberg, no entanto, só iria surgir em 1196. A primeira construção existente neste local era propriedade do Duque Ludwig Von Bayern, quando este foi investido como Palatino, em 1225. O Palatinato era um sistema de governo onde a maior autoridade era exercido pelo chamado Palatino, um cargo semelhante a de governador, com poderes executivos e judiciários sobre toda determinada região. Heidelberg era cidade sede de um palatinato.

A construção do castelo foi acontecendo ao poucos, durante um período que cobriu 300 anos. Devido a isto, o estilo arquitetônico apresenta influências de várias épocas diferentes, desde gótico ao renascentista. Foi Ruprecht III, auto denominado Ruprecht I Von der Pfalz, o primeiro rei dos estados germânicos palatinos. Tendo governado a partir de 1398, tomou a iniciativa de construir uma residência real.   

O local era privilegiado, pois, encravado na encosta da montanha, os residentes desfrutavam de uma vista excelente, além de poder controlar todo o movimento das embarcações do rio Neckar. Durante o governo de Ruprecht III foi também iniciada a construção da Heiliggeistkirche (Igreja do Espírito Santo). Quando morreu, em 1410, o Palatinato foi dividido entre seus quatro filhos.

 

As primeiras partes do castelo eram de arquitetura mais despojada, quase sem ornamentação, mas aos poucos, cada príncipe dos séculos 16 e 17 acrescentava novos elementos, transformando o castelo aos poucos num verdadeiro palácio. Os dois prédios principais do conjunto, que formam suas alas leste e norte, foram erigidos durante os reinado de Ottheinrich (1556 - 1559) e Friedrich IV (1583 - 1610), e atualmente são considerados como um dos mais importantes marcos na história da arquitetura alemã.

Por determinação Friedrich IV, a fachada  do prédio conhecido com Friedrichsbau (prédio de Friedrich) foi adornada com 16 estátuas dos antigos príncipes Palatinos. Entre 1610 e 1632, sob o governo de Friedrich V, foram adicionados o Hortus Palatinus (jardins do palácio palatino), Englische Bau (prédio inglês), e Elisabethentor (portão de Elizabeth, em homenagem à sua esposa).  

Este conjunto de preciosidades arquitetônicas transformou o castelo num local belíssimo, centro das principais atividades da corte. Durante este período o palácio e seus jardins abrigaram muitas atividades culturais e políticas. Com Friedrich V, a cidade de Heidelberg e seu castelo chegaram ao ponto máximo de esplendor. O ponto culminante desta época é a eleição de Friedrich V como Rei da Boemia, em 1619. Mas então, logo a seguir, veio a Guerra dos Trinta Anos.

 

 

O conflito entre 1618 e 1648, que entrou para a historia com o nome de Guerra dos 30 Anos, foi a primeira grande guerra européia, com grandes conseqüências políticas e religiosas. No então chamado Sacro Império Romano do Ocidente, que vigorava em grande parte da Europa, um dos reis alemães era eleito pelos príncipes e bispos, e coroado pelo Papa como Imperador Chefe da Cristandade. Todos os outros reis deveriam respeitá-lo como tal. Isto gerava ressentimentos e revolta entre os protestantes, que não reconheciam sua autoridade.

Com o crescimento do ressentimento entre ambas as partes, surgem ações mais violentas, e logo está formado o conflito. A crise alastra-se pela Alemanha e rapidamente atinge toda a Europa. Heidelberg está no centro do conflito, e as conseqüências são fáceis de prever. A cidade é atacada, invadida, e o castelo e grande parte dos prédios são muito danificados. No entanto, outras guerras ainda viriam. Em 1688 Heidelberg é invadida pelas tropas francesas de Luis 14. Todas as cidades alemãs ao longo do rio Reno são destruídas, inclusive Heidelberg. O Castelo é barbaramente atacado e danificado. Conta-se que apenas um prédio da cidade, o Hotel Ritter, não foi destruído, e permanece até hoje como era na época. 

Em 1693 vem o golpe de misericórdia, durante a chamada Guerra Palatina, quando a cidade é novamente invadido, pilhada, e o que restava do castelo é praticamente destruído na totalidade. Durante os séculos seguintes, houve muitas tentativas de reconstrução do castelo de Heidelberg, mas os resultados foram modestos. Destaca-se o empenho de Charles Graf Von Graimberg, que a partir de 1810 devotou grande parte de sua vida à reconstrução do palácio.

Mesmo assim, devido aos altos custos da empreitada, o antigo esplendor que o castelo chegou a ostentar nunca mais foi recuperado. Nos últimos 40 anos, o governo da região de Baden-Württemberg investiu cerca de 40 milhões de marcos na recuperação e manutenção do castelo. Ainda assim, a maior parte do que pode ser visto hoje é composta de ruínas.

Atualmente, o castelo é o local turístico mais visitado de Heidelberg. Os prédios reconstruídos podem ser percorridos em seu interior, e nos dão alguma idéia do que já foi o esplendor da corte palatina. O acesso até a encosta onde o castelo está situado é feito através de um trenzinho que percorre um plano inclinado. As visitas são feitas em grupos, conduzidos por guias falando alemão, inglês, francês e espanhol.  

Anexo ao castelo está um imenso barril de vinho, o maior do mundo, e que virou atração turística adicional. A melhor época para visitar o local é no verão, durante o Festival do Castelo de Heidelberg, quando são organizados em seu pátio concertos musicais, óperas e peças de teatro.

Veja também o vídeo que gravamos visitando o Castelo de Heidelberg.

Outros detalhes sobre o castelo no site oficial Heidelberg-Schloss.

 

Quer deixar uma mensagem no Viagens & Imagens? Utilize o Guest Book 1 (nesta opção você terá uma resposta junto à sua mensagem)
ou o Guest Book 2 (opção para quem não necessita resposta). As mensagens estarão visíveis em pouco tempo.

Todas as músicas de Castelos & Palácios são reproduções de autênticas canções medievais ou renascentistas.