Inicio
Akershus
Amboise
Angers
Arundel
Audley End
Azay le Rideau
Bamburgh
Beaumaris
Blackness
Blenheim
Blois
Bodiam
Budavari
Caernarfon
Caerphilly
Cardiff
Carlisle
Chambord
Charlottenburg
Chantilly
Chenonceau
Chepstow
Cliffords
Conciergerie
Conwy
Criccieth
Doune
Dover
Edinburgh
Ewloe
Fontainebleau
Frederiksborg
Glamis
Hampt Court
Harlech
Hatfield
Heidelberg
Hever
Hohenschwagau
Langeais
Leeds
Linlithgow
London Tower
Neuschwanstein
Newcastle
Norwich
Nottingham
Nymphenburg
Pena
Penshurst
Pierrefonds
Prazsky
São Jorge
Schonbrunn
Scone
Southsea
Stirling
Tonbridge
Urquhart
Versalhes
Villandry
Vincennes
Warwick
Wilanow
Windsor

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 


Vista externa de Linlithgow Palace

Linlithgow Palace é seu nome oficial, mas esta antiga construção, em estado de quase completo abandono, lembra muito mais um castelo do que propriamente um palácio. Está situado nos arredores de Edinburgo, Escócia e, se não fosse pela estranha experiência que Regina passou lá, este seria um castelo abandonado como tantos outros, sem nada que justificasse um lugar especial na memória.

Mesmo assim, passados muitos anos, Linlithgow Palace é um lugar que nunca mais esquecemos, pois nos forneceu uma prova verdadeira que existe alguma verdade naqueles antigas histórias sobre fantasmas habitando castelos abandonados.

   

A localidade de Linlinthgow é considerada como um dos berços da monarquia Escocesa, e seu castelo, que atende pelo nome de Linlithgow Palace tem setecentos anos de existência. Situado entre Edinburgh e Stirling, no exato local onde foi construída um mansão, o lar do clan Linlinthgow, durante o século XII. Como sua posição era ideal para a defesa da região, o rei James I decidiu construir ali uma fortaleza, e encarregou James de St. George de executá-la, pois ele era o maior engenheiro militar de sua época, e foi o responsável pela construção de vários castelos no Pais de Gales.

A primeira fase do castelo foi concluída em 1303, e já em 1304, quando a cidade de Stirling foi sitiada pelos ingleses, ele foi tomado e utilizado como base de suprimentos dos invasores. 


Pátio interno

 


Um dos corredores do castelo

A história do castelo tem muitos momentos marcantes, como por exemplo em 1314, quando após a batalha de Bannockburn, o castelo, que havia sido tomado pelos ingleses,
voltou para mãos Escocesas. Outro momento marcante foi em 1424, quando um grande incêndio destruiu quase toda a cidade de Linlithgow, inclusive o castelo. Foi após sua reconstrução que ele tomou a forma que possui até hoje.

A inquilina mais famosa do castelo foi no entanto a filha de James V, que entrou para a história como Mary, Queen of Scotts. Foi aqui que ela nasceu, e é até hoje a monarca mais amada pelos Escoceses. Mais tarde, em 1650, com outra invasão inglesa, agora liderada por Oliver Cromwell, o castelo voltou novamente às mãos inglesas. Depois de muitas lutas, e dezenas de episódios sangrentos, em 1746 o palácio foi incendiado por tropas inglesas e então abandonado

Linlithgow Palace foi posteriormente aumentado e embelezado por vários proprietários, sendo que foram James IV ao assumir o trono com apenas 15 anos, e James V, que reinou até 1542, os responsáveis pela conclusão das obras.

Site: Linlithgow Palace

Desta época em diante, começa o declínio da propriedade. Após a morte do monarca, Linlithgow foi abandonado e entrou em decadência. Desde então Linlithgow está praticamente em ruínas, e nunca mais foi voltou a ser recuperado ou habitado.

Hoje em dia a visita ao Linlithgow Palace causa uma estranha sensação. É um local praticamente deserto, com poucos visitantes e quase nenhuma preservação. Andando por aquelas salas e corredores vazios, subindo em suas torres e aposentos de pedra fria, tem-se a sensação de estar pisando em um monumento mudo. É como um livro de história com diversas páginas arrancadas. Algo que intriga e desperta curiosidade.

Estranhamente, foi no subsolo deste palácio, no salão que servia como cozinha, que Regina passou por uma experiência como nunca havia experimentado em sua vida. Vale lembrar que ela não é sensitiva, médium, não costuma ter visões nem nada do gênero. Não havia mais ninguém naquele ambiente nem nos salões próximos a nós, naquele momento.

A peça que servia antigamente com cozinha do palácio é um ambiente como qualquer outro, com mais de seis metros de altura do piso ao teto, e área aproximada de trinta metros quadrados. A única coisa que diferencia este ambiente dos demais, é que no centro da peça existe um poço, que era utilizado para trazer a água do rio até o castelo, onde era utilizada no preparo das refeições. O poço muito é escuro e quem se inclinar na sua borda tentando ver alguma coisa, não vai conseguir ver nada, nem mesmo até onde ele vai.


Pátio interno

 


Fonte situada no pátio interno

Pois foi exatamente junto a este poço interno que Regina estava, olhando para seu fundo, e após erguer a cabeça viu, ao seu lado, imóvel, um corpo masculino vestindo uma armadura metálica de estilo medieval, com uma viseira lhe cobrindo o rosto, e voltado para ela. Não era uma imagem fantasmagórica nem nada. Ele não estava envolvido em fumaça ou qualquer coisa assim. Não emitia qualquer som, nem falou nada. Estava totalmente estático, como se estivesse apenas lhe observando em silêncio.

Naquele exato instante Regina não pensou em nada especial nem se assustou. Olhou para o cavaleiro, tranqüila e um pouco surpresa com aquele homem vestindo uma armadura bem ao seu lado, que ela não tinha visto nem ouvido chegar, e então olhou para o fundo do poço de novo, tentando ver novamente até onde ele ia.

 

Foi somente aí, após alguns segundos, que ela se deu conta do absurdo da situação, que a ficha caiu. Um homem vestindo uma armadura medieval do meu lado? Chegou em silêncio? Me olhando fixamente? Levantou então imediatamente a cabeça de novo à sua procura, mas ele não estava mais lá. Regina estava novamente sozinha na cozinha do castelo. Não havia ninguém mais em volta.

Regina então me chamou, meio rindo e meio assustada e contou o que tinha acabado de presenciar. Claro que eu pensei que era brincadeira dela, que tudo aquilo seria impossível, até ela me garantir que havia mesmo acontecido.

Quando, ainda surpresos e assustados com o que tinha acabado de acontecer, relatamos o fato à zeladoria, na saída do castelo, o vigia apenas sorriu, e disser que ela não era a primeira a encontrar o tal cavaleiro de Linlithgow.

A foto ao lado foi feita de uma de suas torres, e mostra o estado de abandono de seu pátio interno. A sala onde surgiu a estranha aparição é acessada pela porta escura à esquerda, que conduz a um longo corredor até o ambiente que servia como cozinha do castelo. No centro do pátio pode ser vista uma fonte, seca e em ruínas.


Pátio interno visto de torre do castelo

Vídeo: Linlithgow Palace


Sim, você pode pensar que tudo que leu acima é mentira, ou apenas uma história para dar um pouco de charme ao que contamos aqui no Viagens & Imagens. Mas não é mentira e foi realmente o que aconteceu, acredite você ou não. 

Para nós, Linlithgow será sempre inesquecível e continua a ser lembrado como um local de mistérios e arrepios, um castelo imenso e abandonado. Mas suas paredes de pedras geladas não contam nada, nem seus fantasmas. Eles continuam apenas a vigiar, em silêncio, os novos visitantes de Linlithgow.

Para visitar o castelo a partir de Edinburgh, siga pela auto estrada M9 rumo oeste até a saída número 3. Do centro da cidade até lá são apenas vinte e cinco minutos de carro.

 

Todas as músicas de Castelos e Palácios são reproduções de autênticas canções medievais ou renascentista .
Para interromper a execução pressione a tecla ESC.